Governadores ameaçam ir ao STF para garantir importação da Sputnik V

Diretores da Anvisa e governadores tiveram uma longa reunião sobre o imunizante, mas a importação não ficou decidida

Recipientes da vacina russa para Covid-19 Sputnik V
Recipientes da vacina russa para Covid-19 Sputnik V Foto: Divulgação

Basília Rodriguesda CNN

Ouvir notícia

Governadores do Nordeste ouvidos pela CNN afirmaram que vão recorrer ao Supremo Tribunal Federal caso não tenham autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para importar a vacina russa Sputnik até a próxima semana. Nessa terça-feira (6), diretores da Anvisa e governadores tiveram uma longa reunião, mas a importação não ficou decidida. “Foi uma reunião péssima. Todo mundo na expectativa para anunciar importação e vieram com um ‘mar de dificuldades’. O papel deles é apenas de checar a documentação. Temos 10 milhões de pessoas imunizadas no mundo com a Sputnik. E a Anvisa fica catimbando, fazendo cera”, afirmou irritado, à CNN, o governador da Bahia, Rui Costa (PT).

Os governadores argumentam que a lei aprovada no Congresso no mês passado sobre a compra de vacinas prevê prazo mínimo de 7 dias para uma resposta da agência. O mesmo texto também aponta o prazo de 31 dias caso faltem informações que dependam de órgãos internacionais.
“A legislação é clara e aborda a imediata autorização de importação da vacina Sputnik. Não podemos mais esperar, é inacreditável a demora da Anvisa. Por isso, deixa o Brasil no fim da fila”, afirmou o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB).

Um dos pontos mais criticados pelos governadores é a decisão da Anvisa de viajar até a Rússia antes de deliberar sobre o uso das vacinas. Apesar da reclamação dos governadores, o mesmo rito foi utilizado no caso de todas as vacinas em análise pela Anvisa, como a própria Coronavac, que teve o laboratório na China inspecionado.

Diretores da agência ouvidos pela CNN minimizaram as queixas. Segundo eles, a visita – ainda sem data para ocorrer – é fundamental para a autorização de uso das vacinas. Já o pedido emergencial de importação será analisado a parte. Na prática, a Anvisa pode autorizar a entrada das vacinas no Brasil, mas para que elas sejam utilizadas ainda seria preciso aguardar a avaliação técnica da agência.

Por meio da assessoria, a Anvisa informou que vai voltar a se reunir com as áreas técnicas dos estados nesta quarta-feira (7) para avançar no assunto. O objetivo é equacionar dúvidas, entregar informações restantes, que possibilitem a chegada das vacinas ao Brasil.

Mais Recentes da CNN