Grande incêndio na Califórnia provoca evacuação de milhares de residentes

Chamas já duram 25 dias e este é o segundo maior incêndio da história do estado; até o momento, quatro pessoas estão desaparecidas e não há mortos

Madeline Holcombe, CNN

Ouvir notícia

Cerca de 39% dos residentes no condado de Plumas, na Califórnia, estão sob ordens de evacuação enquanto as autoridades combatem o segundo maior incêndio da história do estado, disse o gabinete do Xerife do condado de Plumas neste domingo (8).

Plumas é um dos quatro condados – junto com Butte, Lassen e Tehama – sob as chamas intensas do incêndio Dixie, que já dura 25 dias e aumentou sua atividade neste domingo em meio a condições quentes, secas e ventosas, de acordo com Cal Fire.

“Temos uma grande responsabilidade de reconstruir esta comunidade”, disse o governador da Califórnia, Gavin Newsom, durante uma visita à cidade de Greenville, que foi devastada pelo fogo na última semana. 

“Mas também devemos tratar da intensidade do que está ocorrendo globalmente, e manifestando de forma esmagadora aqui na Califórnia – e isso é a mudança climática.”

Greenville, no condado de Plumas, foi quase destruída quando o fogo a atingiu. Quase todos os negócios no centro comercial da cidade pareciam ter entrado em colapso ou sido destruídos, com as chamas resistindo nos escombros, mostrou um vídeo gravado na última quarta-feira pelo caçador de tempestades Brandon Clement.

Até domingo, nenhuma morte foi registrada em conexão com o incêndio, mas quatro pessoas estão desaparecidas, de acordo com o gabinete do Xerife do Condado de Plumas.

O Dixie Fire é um dos 11 incêndios florestais que queimam na Califórnia. Apenas neste domingo, houve – em todo o país – 107 grandes incêndios florestais queimando em 15 estados – mais de 2,2 milhões de acres foram queimados, de acordo com uma atualização do National Interagency Fire Center.

Calor persistente pode desafiar os esforços de combate a incêndios

Para os 8.500 bombeiros que lutam contra as chamas que queimaram mais de 489 mil acres, de acordo com o CalFire, as condições não devem melhorar em breve.

Uma grande área do noroeste dos Estados Unidos e partes do norte da Califórnia estão sob vigilância de calor excessivo. E embora as áreas impactadas pelo incêndio ainda não façam parte desses avisos, elas provavelmente verão uma tendência de aquecimento acentuada nos próximos dias, disse o meteorologista da CNN Pedram Javaheri.

“Espera-se que o calor continue neste fim de semana, tornando os esforços de combate a incêndios muito mais desafiadores”, disse Javaheri. “Alguma umidade pode penetrar na região e gerar uma pequena chance de algumas tempestades na alta Sierra. Infelizmente, essas tempestades elétricas podem trazer mais danos do que ajudar.”

A causa do incêndio Dixie ainda está sob investigação, disseram as autoridades. O incêndio está atualmente 21% contido, de acordo com CalFire.

O incêndio Dixie ultrapassou o incêndio do complexo Mendocino, que queimou mais de 450 mil acres em vários condados no norte da Califórnia em 2018, para ficar atrás apenas do incêndio de agosto de 2020, que devastou o norte da Califórnia e queimou mais de 1 milhão de acres.

Incêndio california
Incêndios florestais na Califórnia na região de Greenville
Foto: Trevor Bexon/Getty Images

No estado vizinho, Oregon, há 16 incêndios intensos, enquanto Montana e Idaho têm mais do que qualquer estado dos EUA – com 25 e 20 respectivamente, de acordo com o NIFC.

Devido à forte fumaça de incêndios florestais, IQAir, uma empresa suíça de tecnologia de qualidade do ar, determinou que o ar de Denver era o mais poluído de qualquer cidade do mundo no início deste sábado com um Índice de Qualidade do Ar de 167. A medição é pelos padrões dos EUA, onde números mais altos indicam pior qualidade do ar.

Claudia Dominguez, Amanda Watts e Aya Elamroussi, da CNN, contribuíram para esta reportagem

(Esse texto é uma tradução. Para ler o original, em inglês, clique aqui)

Mais Recentes da CNN