Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Hamas afirma manter mais de 100 reféns, incluindo oficiais do Exército de Israel

    Além de israelenses, acredita-se que pessoas de várias outras nacionalidades também tenham sido sequestradas pelo grupo islâmico

    Eyad KourdiJonny HallamIbrahim Dahmanda CNN

    O Hamas mantém mais de 100 reféns israelenses em Gaza, incluindo oficiais de alto escalão do Exército, afirmou um porta-voz do grupo islâmico neste domingo (8).

    O número de reféns israelenses “ainda não foi contado, mas são mais de 100”, declarou o vice-chefe do gabinete político do Hamas, Mousa Abu Marzouk, em entrevista ao canal de notícias árabe al-Ghad TV.

    Questionado sobre a presença de oficiais do Exército de Israel entre os reféns, Marzouk disse: “Há oficiais de alta patente”.

    Outro grupo armado palestino, a Jihad Islâmica, disse também neste domingo que mantém pelo menos 30 reféns em Gaza.

    A CNN não conseguiu verificar as informações do Hamas e da Jihad Islâmica.

    Autoridades de Israel já afirmaram que dezenas de israelenses estão mantidos como reféns em Gaza, mas não confirmaram quantos.

    O pai de uma mulher israelense de 25 anos que teria sido feita refém em um festival de música perto da fronteira Gaza-Israel no sábado disse que “não queria acreditar” no ocorrido.

    Além de israelenses, acredita-se que pessoas de várias outras nacionalidades também tenham sido feitas reféns.

    Entre eles, dois cidadãos mexicanos, uma mulher e um homem, “presumivelmente” foram feitos reféns pelo Hamas, disse no domingo a ministra das Relações Exteriores do México, Alicia Barcena. Pelo menos três cidadãos brasileiros também estão desaparecidos, segundo as autoridades do Brasil.

    VÍDEO – À CNN, namorada de brasileiro desaparecido em Israel relata pânico em meio a ataques

    Mais cedo, o Hamas também afirmou que seus agentes ainda estão presentes em Israel e que conduzem operações em Mavki’im, no sul do país, a norte de Gaza.

    O porta-voz das Forças de Defesa de Israel, major Ben Wahlhaus, confirmou: “Ainda estamos lutando no sul. As pessoas ainda estão dentro de suas casas, dentro de seus quartos seguros, dentro de seus abrigos antiaéreos”, disse à CNN.

    “Nossas forças estão lá tentando fazer tudo o que podem para tirar esses terroristas de Israel e parar de atacar nossos civis. E isso inclui tudo o que tem acontecido nas últimas 24 horas”, acrescentou.