Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Hamas treinou para ataque a menos de 1,5 km da fronteira de Israel

    Campo de treinamento ficava muito perto da Passagem de Erez, travessia de pedestres entre Gaza e Israel

    Paul P. MurphyTara JohnBrent SwailsOren Liebermannda CNN

    Em um vídeo divulgado em dezembro de 2022, combatentes do Hamas podem ser vistos inundando uma área de treinamento, disparando mísseis e capturando falsos prisioneiros enquanto cercam edifícios israelenses fictícios.

    O campo, segundo mostra uma análise da CNN, tinha acabado de ser construído e ficava muito perto da Passagem de Erez, a travessia de pedestres entre Gaza e Israel que os combatentes do Hamas invadiram no último fim de semana em um ataque que matou mais de 1.200 pessoas em Israel.

    Outro vídeo feito há mais de um ano mostra combatentes do Hamas praticando decolagens, aterrissagens e assaltos com parapentes – o mesmo modo incomum que o Hamas empregou, com efeito letal, no ataque recente.

    Uma investigação da CNN analisou quase dois anos de treino e vídeos de propaganda divulgados pelo Hamas e seus membros para revelar os meses de preparação que levaram ao ataque da semana passada, descobrindo que os extremistas treinaram em pelo menos seis locais em Gaza.

    Dois desses locais, incluindo o árido local de treino mostrado no vídeo de dezembro, ficavam a pouco mais de 1,5 km da seção mais fortificada e patrulhada da fronteira Gaza-Israel. Dos restantes locais: um está localizado no centro de Gaza e os outros três no extremo sul.

    Dois anos de imagens de satélite, também revistas pela CNN, não mostram qualquer indicação de uma ação militar ofensiva israelita contra qualquer um dos seis locais identificados.

    Não só houve atividade nos últimos meses nos campos, mas alguns também absorveram terras agrícolas próximas, as convertendo de agricultura em áreas estéreis para treinamento nos últimos dois anos, de acordo com imagens de satélite.

    No rescaldo da incursão implacável do Hamas – onde extremistas raptaram até 150 pessoas, invadiram bases militares israelenses e devastaram cidades – estão sendo levantadas questões sobre as falhas operacionais e de inteligência do aparelho de segurança de Israel.

    O fato do Hamas ter treinado para o ataque à vista de todos durante pelo menos dois anos levanta questões sobre a razão pela qual Israel, sede da operação militar e de espionagem mais sofisticada do Oriente Médio, não foi capaz de detectar e impedir o ataque?

    Quando a CNN entrou em contato com as Forças de Defesa de Israel (FDI) para comentar a questão, seu porta-voz internacional, o tenente-coronel Jonathan Conricus, disse que as descobertas “não eram novidade”.

    Ele acrescentou que o Hamas “teve muitas áreas de treino” e que os militares de Israel “atacaram muitas áreas de treino ao longo dos anos nas diferentes rondas de escalada”.

    Conricus observou que Israel não teve uma grande escalada com o Hamas há mais de dois anos, em referência ao período em que as hostilidades entre Israel e o Hamas começaram em 2021.

    Após as semanas de tensão em Jerusalém, onde um grupo de famílias palestinas foram despejadas de suas casas em Jerusalém Oriental em favor dos nacionalistas judeus.

    Conricus também declarou que o Hamas pode ter feito as instalações “parecerem civis”.

    No entanto, cinco dos locais – o sexto é uma pista de aterrissagem – não têm características civis e são quase idênticos na forma como são construídos e dispostos.

    Veja também: Roubos, ameaças: imagens mostram ação do Hamas durante invasão a Israel; assista

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original