Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    “História está observando”: Estrelas de Hollywood pedem que Biden pressione por cessar-fogo em Israel e Gaza

    Atores como Joaquin Phoenix, Susan Sarandon, Kristen Stewart assinaram carta conjunta para o presidente dos EUA

    Comediante Jon Stewart foi um dos que fez apelo a Joe Biden
    Comediante Jon Stewart foi um dos que fez apelo a Joe Biden 28/07/2022REUTERS/Jonathan Ernst

    Kanishka Singhda CNN

    Washington, Estados Unidos

    Dezenas de astros de Hollywood, incluindo o comediante Jon Stewart e o ator vencedor do Oscar Joaquin Phoenix, escreveram na sexta-feira (20) ao presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, fazendo um apelo para que ele pressione por um cessar-fogo em Israel e Gaza.

    O grupo radical islâmico Hamas atacou Israel em 7 de outubro, matando milhares de pessoas e fazendo cerca de centenas de reféns. Desde então, Israel tem bombardeado pesadamente Gaza e matou mais outros milhares de palestinos, segundo o Ministério da Saúde palestino.

    “Pedimos ao seu governo, e a todos os líderes mundiais, que honrem todas as vidas na Terra Santa e peçam e facilitem um cessar-fogo sem demora – o fim dos bombardeios de Gaza e a libertação segura dos reféns”, escreveram as celebridades para Biden.

    “Nos recusamos a contar às gerações futuras a história do nosso silêncio, de que ficamos parados e não fizemos nada. Como disse o Chefe de Ajuda de Emergência da ONU, Martin Griffiths, ao UN News: ‘A história está observando'”, disseram eles na carta, citando a declaração de Griffiths na segunda-feira.

    Os quase 60 signatários incluíram Susan Sarandon, Kristen Stewart, Quinta Brunson, Ramy Youssef, Riz Ahmed, Mahershala Ali, entre outros.

    “A ajuda humanitária precisa poder chegar até eles [os habitantes de Gaza]”, dizia a carta.

    Biden disse na sexta-feira acreditar que os caminhões que transportam ajuda humanitária chegarão a Gaza nas próximas 24 a 48 horas.

    O bombardeio da Faixa de Gaza, um enclave de 45 km de extensão, criou condições terríveis para os 2,3 milhões de pessoas que vivem ali sob bloqueio de Israel e do Egito desde que o Hamas assumiu o controle da área em 2007.

    VÍDEO – Israel: Continuamos atacando os comandantes do Hamas