Homem foge de quarentena de Covid na Austrália usando lençóis, diz polícia

Homem de 39 anos estava cumprindo isolamento em hotel na Austrália Ocidental por determinação do governo; ele foi pego pela polícia

Foto: Homem teria feito corda de lençóis para fugir de quarentena em hotel na Austrália/Western Australia Police

Julia Hollingsworth, da CNN

Ouvir notícia

Um homem de 39 anos supostamente usou uma corda feita de lençóis para descer de um quarto de hotel no quarto andar e fugir da quarentena australiana, disse a polícia.

O homem chegou à Austrália Ocidental por Brisbane na tarde de segunda-feira (19), mas não atendeu aos requisitos de isenção necessários para entrar no estado, que atualmente possui regras rígidas de fronteira em vigor, de acordo com um comunicado da Força Policial da Austrália Ocidental.

O homem foi instruído a deixar a Austrália Ocidental em 48 horas e foi enviado para um hotel de quarentena durante a noite. O homem teria fugido depois da meia-noite, mas foi pego na terça de manhã e acusado de não cumprimento de uma instrução e de fornecimento de informações falsas.

O teste do homem deu negativo para Covid-19, disse a polícia.

 A fuga ousada ocorre enquanto a Austrália está lutando para conter um surto local da variante Delta que começou em 16 de junho com um motorista de limusine de Bondi, Sydney, que transportou tripulantes de um voo internacional. Agora, centenas de casos estão sendo relatados em New South Wales (NSW) a cada semana, com um punhado de casos nos estados vizinhos Victoria e South Australia.

Mais da metade da população de 26 milhões da Austrália está presa nesses três estados, e restrições foram impostas em outros lugares para impedir a propagação.

As fronteiras da Austrália estão fechadas desde o ano passado para quase todos os não australianos, e mesmo aqueles que têm permissão para entrar no país devem pagar milhares de dólares para ficar em quarentena por duas semanas em um hotel. As vagas nos hotéis de quarentena administrados pelo governo são limitadas, portanto, menos passagens estão sendo vendidas para voos internacionais. Milhares de australianos reclamaram que foram excluídos do país.

Mas, embora a segurança na fronteira tenha sido rígida, a Austrália demorou a vacinar sua população. Apenas 11% da população está totalmente vacinada, de acordo com o rastreador de vacinas Covid da CNN, número significativamente menor do que no Reino Unido, onde 53% estão totalmente vacinados, ou nos Estados Unidos, onde 48% estão vacinados.

Isso significa que, quando a variante Delta de rápida disseminação, detectada pela primeira vez na Índia, foi encontrada na Austrália, havia pouca proteção contra as vacinas.

A Austrália planejou inicialmente vacinar a maior parte de sua população com a vacina AstraZeneca, mas depois apenas recomendou a dose para pessoas com mais de 60 anos devido a preocupações com coágulos sanguíneos.

Os australianos com menos de 60 anos são aconselhados a tomar a vacina da Pfizer, mas até o momento os suprimentos são limitados. Mais um milhão de doses da Pfizer chegaram ao país no início desta semana, mas as pessoas com menos de 40 anos ainda não receberam a vacina pelo programa oficial.

Isso está causando preocupação em estados onde a Delta representa uma ameaça. Autoridades de saúde estão buscando contato e ordenando que as pessoas que possam ter sido expostas ao vírus se isolem e façam o teste.

Na quarta-feira, as autoridades de NSW disseram ter encontrado 110 casos após testar um recorde de 83.477 amostras nas últimas 24 horas.

“Por favor, não saia de casa a menos que seja necessário”, disse a Premier Gladys Berejiklian.

“Isso é realmente sério. Fizemos bem em conter o crescimento que outros países observaram ao redor do mundo com a cepa Delta. Detivemos os milhares e milhares de casos que outros países ao redor do mundo tiveram. Nossas taxas de vacinação são muito baixas, e ainda assim temos feito muito bem em conter a disseminação do vírus. “

“O que precisamos fazer agora é suprimi-lo, porque com as taxas de vacinação do jeito que estão, não seremos capazes de viver livremente e com segurança a menos que possamos suprimir este surto atual”, disse ela.

Espera-se que a Grande Sydney permaneça bloqueada além de julho, e na terça-feira o bloqueio de Victoria foi estendido por mais sete dias.

O secretario de saúde do estado Brett Sutton disse que a variante Delta era mais infecciosa e se movia mais rápido do que os surtos anteriores da Austrália.

“Não correremos o risco de abrir tão cedo”, disse.

(Texto traduzido. Leia aqui o original em inglês.)

 

Mais Recentes da CNN