Ilusões da Rússia sobre o Ocidente acabaram, diz Lavrov

Ministro criticou EUA e acrescentou que países como China, Índia e Brasil não queriam ser ordenados pelo "Tio Sam" agindo como um xerife

Ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, em Moscou
Ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, em Moscou 15/02/2022 REUTERS/Shamil Zhumatov/Pool

Reuters

Ouvir notícia

A Rússia “perdeu todas as ilusões” de depender do Ocidente e Moscou “nunca aceitará” uma visão do mundo dominada pelos Estados Unidos, que quer agir como um “xerife global”, disse o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, nesta sexta-feira (18).

As nações ocidentais impuseram sanções abrangentes nos setores financeiro e corporativo da Rússia em resposta à invasão da Ucrânia por Moscou em 24 de fevereiro, mergulhando a economia russa em sua crise mais grave desde a queda da União Soviética em 1991.

Lavrov, ministro de Vladimir Putin desde 2004, disse que a reação do Ocidente ao que Moscou chamou de “operação militar especial” tinha ilustrado que o Ocidente era completamente dominado pelos Estados Unidos e que a União Europeia era em grande parte impotente.

A Rússia olharia para o leste, disse ele.

“O que os americanos querem é um mundo unipolar que não seja como uma aldeia global, mas como uma aldeia americana — ou talvez como um saloon, onde você sabe que o mais forte dá as ordens”, disse Lavrov.

Ele acrescentou que muitos países como China, Índia e Brasil não queriam ser ordenados pelo “Tio Sam” agindo como um xerife.

A invasão da Rússia matou milhares de pessoas, desalojou mais de 3 milhões e levantou o medo de um confronto mais amplo entre a Rússia e os Estados Unidos, as duas maiores potências nucleares do mundo.

A resposta desafiadora de Lavrov ao esforço do Ocidente para isolar seu país ecoou a de Putin, que indicou nos últimos dias que a era pós-1991 da história russa chegou ao fim e que, a partir de agora, Moscou olhará para a China, Índia e cada vez mais para dentro.

“Agora teremos que confiar somente em nós mesmos e em nossos aliados que ficam conosco”, disse Lavrov. “Nós não estamos fechando a porta para o Ocidente — eles que estão fazendo isso”.

Quando a União Soviética desmoronou e a Guerra Fria terminou, muitos tanto na Rússia quanto no Ocidente esperavam que os confrontos que tinham dividido o mundo pós-Segunda Guerra Mundial recuassem ou até mesmo fossem superados.

Putin diz que as ações de Moscou na Ucrânia eram necessárias porque a expansão da Otan ameaçava a Rússia, e que Moscou precisava salvar os falantes de russo na Ucrânia da opressão.

Mais Recentes da CNN