Índia registra quarto dia seguido de recorde mundial de infecções por Covid-19

Tudo está em falta: leitos para unidades de terapia intensiva, remédios, oxigênio e ventiladores; foram 192.311 mortes até aqui

Mercado lotado em Mumbai, na Índia; país superou a marca dos 300 mil casos diários de Covid-19
Mercado lotado em Mumbai, na Índia; país superou a marca dos 300 mil casos diários de Covid-19 Foto: Niharika Kulkarni - 5.abr.2021/Reuters

Manveena Suri, da CNN

Ouvir notícia

A Índia registrou 349.691 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas, o quarto dia consecutivo em que o país estabeleceu recorde mundial de infecções diárias durante a pandemia de coronavírus. O país também relatou o maior número de mortes diárias pelo nono dia seguido, com 2.767 vítimas da doença.

Com população de 1,3 bilhão de pessoas, o país relatou mais de um milhão infecções nos últimos três dias, elevando o total para 16,9 milhões de casos registrados e 192.311 mortes. As infecções por Covid-19 que disparam vertiginosamente estão devastando as comunidades e hospitais no país.

Tudo está em falta –leitos para unidades de terapia intensiva, remédios, oxigênio e ventiladores. Corpos se acumulam em necrotérios e crematórios, e as autoridades estão sendo forçadas a realizar cremações em massa em locais improvisados.

Há apenas seis semanas, o Ministro da Saúde da Índia declarou que o país estava “no fim” da pandemia. Mas os números de domingo, que representam o maior número de casos registrados em um único dia em qualquer lugar do mundo, de acordo dados da Universidade John Hopkins, contam uma história diferente.

A segunda onda da Índia, que começou em meados de março, ocorre no momento em que há um avanço no programa de vacinação. No sábado, o ministério da saúde disse ter administrado mais de 140 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19, sendo 2,4 milhões delas nas últimas 24 horas.

Apesar de administrar o maior número de vacinas contra o coronavírus no mundo, depois dos Estados Unidos e da China, a Índia está abaixo de muitos países em vacinação per capita, de acordo com dados da CNN.

O país anunciou na segunda-feira passada que aqueles com 18 anos ou mais estarão elegíveis para receber o imunizante a partir de 1º de maio. Empresas privadas também poderão cobrar e fornecer vacinas. Em seu programa de rádio mensal, o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, enfatizou a importância de se vacinar e se referiu à segunda onda de Covid-19 como uma “tempestade” que “abalou a nação”.

“Estou falando com você em um momento em que a Covid-19 está testando nossa paciência e capacidade de suportar a dor. Muitos de nossos entes queridos nos deixaram de forma prematura. Depois de enfrentar com sucesso a primeira onda, o moral da nação estava alto, estava confiante. Mas esta tempestade abalou a nação “, disse Modi.

*Texto traduzido, clique aqui para ler o original

Mais Recentes da CNN