‘Indo bem, eu acho’, diz Trump em hospital militar

Até o momento, o presidente dos EUA teve febre e fadiga, de acordo com uma pessoa próxima a ele

Ouvir notícia

 

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, se pronunciou neste sábado (2) pela primeira vez nas redes sociais após chegar ao hospital militar Walter Reed, em Maryland. Ele e a mulher, Melania, foram diagnosticados com Covid-19 nessa sexta-feira (3). “Indo bem, eu acho! Agradeço a todos vocês! Amor!!!”, escreveu ele no Twitter.

Até o momento, Trump teve febre e fadiga, de acordo com uma pessoa próxima a ele. O médico do republicano informou que ele foi medicado com uma dose de Regeneron, um coquetel de anticorpos para o novo coronavírus que ainda está em teste nos EUA.

Assista e leia também:
Quem assume se Trump ficar muito doente para governar? Veja linha de sucessão
‘Surpresa de outubro’, Covid-19 de Trump muda dinâmica da reta final da eleição
Idade e peso de Donald Trump incluem presidente em grupo de risco da Covid-19

A secretária de imprensa da Casa Branca, Kayleigh McEnany, disse que Trump também está sendo medicado com o antiviral remdesivir, produzido pela Gilead Sciences.

“Estou feliz em informar que o presidente está muito bem. Não tem necessidade de oxigênio suplementar, mas em consulta com especialistas, optamos por iniciar um tratamento com remdesivir. Ele completou a primeira etapa e está descansando confortavelmente”, diz a nota oficial publicada por McEnamy no Twitter.

Trump também está tomando zinco, vitamina D, famotidina, melatonina e aspirina.

É muito raro um presidente passar a noite em um hospital, já que a Casa Branca conta com várias instalações médicas disponíveis.

Donald Trump
Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, durante Convenção Nacional do Partido Republicano
Foto: CNN (28.ago.2020)

Chefe de campanha testa positivo para Covid-19

Um alto funcionário do governo disse à CNN que Bill Stepien, chefe de campanha de Trump, testou positivo para a Covid-19. Com isso, ele vai começar a trabalhar de casa.

Outros funcionários próximos ao presidente também testaram positivo para a doença, incluindo a conselheira dele, Kellyanne Conway, e a assessora, Hope Hicks.

(Com informações de Aaron Pellish e Kaitlan Collins, da CNN, em Atlanta)

Mais Recentes da CNN