Inteligência dos EUA não tem evidências de que OVNIs eram naves alienígenas

Fontes ouvidas pela 'CNN' sobre relatório que será divulgado neste mês dizem que especialistas não chegaram, porém, a avaliação definitiva sobre objetos

Inteligência dos EUA não encontrou evidência de que OVNIs avistados pela Marinha seriam espaçonaves alienígenas
Inteligência dos EUA não encontrou evidência de que OVNIs avistados pela Marinha seriam espaçonaves alienígenas Foto: Stars Academy Of Arts & Science/Reuters

Zachary Cohen e Katie Bo Williams, da CNN

Ouvir notícia

As agências de inteligência dos Estados Unidos não encontraram evidências que confirmem que objetos voadores não identificados (OVNI) encontrados por pilotos da Marinha nos últimos anos eram espaçonaves alienígenas.

Também não chegaram a uma avaliação definitiva sobre o que esses objetos misteriosos podem ser, de acordo com cinco fontes familiarizadas com um relatório sobre OVNIs que deve ser entregue ao Congresso no final deste mês.

De acordo com três dessas fontes, o relatório não descarta a possibilidade de que sejam espaçonaves alienígenas.

Embora essa incerteza seja provavelmente um golpe nas esperanças dos entusiastas de OVNIs que esperavam por uma prova definitiva de vida extraterrestre, ela não minimiza a importância do relatório, especialmente considerando o que as fontes descrevem como uma batalha de anos dentro do Pentágono sobre reconhecer o que agora são centenas de avistamentos inexplicáveis ??por militares dos EUA.

O New York Times foi o primeiro a publicar os detalhes do relatório.

As autoridades norte-americanas também não podem descartar a possibilidade de que esses objetos voadores sejam aeronaves pertencentes a adversários americanos, a saber, Rússia e China – uma conclusão potencialmente mais problemática que levanta uma série de potenciais preocupações com a segurança nacional –, disse uma das fontes.

Também espera-se que o relatório conclua que os objetos não são tecnologia norte-americana secreta, acrescentou uma das fontes.

Relatório histórico sobre OVNIs

Pela primeira vez, o governo dos Estados Unidos está se preparando para emitir um relatório extraordinário não secreto detalhando o que sabe sobre uma série de encontros misteriosos com objetos voadores não identificados, comumente conhecidos como OVNIs.

Embora não se espere que o relatório confirme a existência de vida extraterrestre, o simples fato de a comunidade de inteligência reconhecer esses incidentes representa uma mudança notável na maneira como as autoridades norte-americanas pensam sobre esse fenômeno.

O governo dos Estados Unidos relutou em divulgar qualquer informação relacionada a vários avistamentos relatados de objetos voadores não identificados encontrados por pilotos militares em espaço aéreo restrito. Várias fontes disseram à CNN que durante anos o Departamento de Defesa tentou evitar gastar muitos recursos para o que ainda é uma prioridade marginal.

Mas uma pressão constante de legisladores forçou o Pentágono e a comunidade de inteligência dos EUA a reconhecer uma verdade incômoda: esses encontros representam uma ameaça potencial à segurança que simplesmente não pode ser explicada.

“O que percebi, a partir dos briefings que participei, é que ninguém sabe o que fazer a respeito. Não há uma prescrição de política e é por isso que há tanta hesitação em lidar com a questão”, disse à CNN em uma entrevista recente o deputado Michael Waltz, um republicano membro do Comitê de Serviços Armados da Câmara.

“Mas é perturbador de qualquer maneira. Trata-se de vida alienígena ou de adversários ou outra pessoa que têm capacidades que excedem em muito qualquer coisa que nós temos a capacidade de entender, rastrear ou contra-atacar?”

Sem provas de ETs

É improvável que o relatório satisfaça os ufologistas que defendem o que é conhecido como “Divulgação”, ou a liberação do governo de evidências definitivas de que foi contatado por vida extraterrestre.

“A maioria das pessoas esperaria por evidências visuais de homenzinhos verdes, o que quase certamente não será o caso”, disse um assessor do Congresso à CNN, referindo-se às expectativas sobre o conteúdo do relatório.

Na verdade, várias fontes disseram à CNN que não esperam que a comunidade de inteligência libere muitas informações específicas, em parte porque se esses avistamentos estranhos forem, na verdade, tecnologia de última geração desenvolvida por um adversário estrangeiro, os funcionários da inteligência não vão querer dar dicas sobre o que os EUA viram.

Além disso, os especialistas em inteligência técnica ainda precisam de mais informações sobre alguns desses encontros para chegar a uma avaliação conclusiva, disse um funcionário do governo envolvido nos esforços investigativos atuais. 

Mas o mesmo funcionário também disse à CNN que muitos encontros acabam tendo explicações perfeitamente normais, como um balão meteorológico ou um drone. Em alguns casos, os avistamentos foram removidos do banco de dados do governo dos EUA porque as autoridades foram capazes de explicá-los.

Ainda assim, vários relatos inexplicáveis ??de pilotos nos últimos anos geraram tensão dentro do Pentágono sobre quanto tempo e recursos dedicar à investigação desses incidentes, de acordo com fontes e documentos revisados ??pela CNN.

Eles também alimentaram o desejo no Capitólio por mais informações e a crença entre vários legisladores importantes de que o Congresso deve flexibilizar seus poderes de supervisão para garantir que a questão seja tratada de maneira adequada. 

Exigir a produção de um próximo relatório de OVNIs é uma maneira que os legisladores sinalizaram que pretendem usar essa autoridade, dizem as fontes.

“Uma das funções de um evento como este é que ele força a coordenação real dentro das agências e deixa claro que o Congresso realmente leva a sério sua função de supervisão e que haverá um maior escrutínio ao longo do caminho”, disse o assessor do Congresso. 

“Parte disso é resultado de fazer com que as agências levem o problema mais a sério e tentar ajudar a se livrar do estigma que o cerca.”

(Texto traduzido; leia o original em inglês)

Mais Recentes da CNN