Israel volta a atacar Gaza em resposta a ações com balões incendiários

Foi a segunda vez na semana em que as Forças de Defesa de Israel bombardearam alvos na Faixa de Gaza; situação ao longo da fronteira permanece frágil

Árvore em chamas após palestinos em Gaza lançaram balões incendiários sobre a fronteira com Israel
Árvore em chamas após palestinos em Gaza lançaram balões incendiários sobre a fronteira com Israel Foto: Amir Cohen - 15.jun.2021/Reuters

Oren Liebermann e Amir Tal, da CNN

Ouvir notícia

Os militares israelenses atacaram alvos na Faixa de Gaza pela segunda vez nesta semana, disseram as Forças de Defesa de Israel (IDF, na sigla em inglês), em um comunicado, depois que uma série de balões incendiários lançados de Gaza desencadearam oito incêndios no sul de Israel.

Durante a noite de quarta-feira (16), os israelenses atacaram o que disse serem complexos militares do Hamas e pontos de encontro para as brigadas da organização militante que governa Gaza.

Esses ataques aéreos, os primeiros desde que o cessar-fogo entrou em vigor no mês passado, foram em resposta ao lançamento de balões incendiários que provocaram 20 incêndios em campos no sul de Israel.

Menos de 48 horas depois, enquanto o lançamento de balões de Gaza continuava, as IDF realizaram outra série de ataques aéreos na noite de quinta-feira (17). As forças israelenses disseram que tinham como alvo instalações militares e um local de lançamento pertencente ao Hamas.

Em um sinal de que tanto Israel quanto o Hamas estavam interessados ??em evitar uma escalada total, o Hamas não respondeu aos ataques aéreos de quarta-feira com o lançamento de foguetes.

No entanto, a situação ao longo da fronteira entre Israel e Gaza permanece frágil, e um erro de cálculo de ambos os lados pode desencadear uma escalada imediata e séria em um ambiente que não voltou a um estado de calma após os combates do mês passado.

No início da noite de quinta-feira, o chefe do Estado-Maior das IDF conduziu uma avaliação da situação, incluindo a possibilidade de uma retomada dos combates entre Israel e o Hamas.

O porta-voz do Hamas, Abd Al-Lateef Qanoua, disse à CNN: “A ocupação não será capaz de impor qualquer equação, e o que esta ocupação não conseguiu na recente agressão, não será capaz de alcançá-lo intimidando nosso povo e bombardeando vazios de terra.”

Homem palestino segura balão preso a explosivo
Homem palestino segura balão preso a explosivo nas proximidades do campo de refugiados de Jabalya
Foto: Nidal Alwaheidi/SOPA Images/LightRocket via Getty Images (25.out.2020)

Balões incendiários

Balões incendiários são engenhocas relativamente simples – balões de hélio que muitas vezes se parecem com decorações de festas de aniversário de crianças, presos a explosivos ou dispositivos que são preventivamente acesos. Os militantes lançam os balões de Gaza e os ventos do Mar Mediterrâneo ajudam a impulsioná-los para o território israelense.

Apesar de os militantes enviarem balões para Israel há anos, a resposta dos militares israelenses aos ataques aéreos em Gaza é uma nova escalada. Autoridades israelenses disseram que faz parte da mensagem ao Hamas que qualquer provocação será enfrentada com força.

O ex-ministro das finanças Israel Katz, que estava no gabinete durante o conflito mais recente com Gaza no mês passado, disse que depois daquela operação, o país decidiu “mudar as regras”.

“Para cada ataque em Israel, assassinatos de alvos específicos e ataques generalizados contra alvos do Hamas serão realizados”, tuitou.

Hadas Gold contribuiu para esta reportagem.

(Texto traduzido; leia o original em inglês)

Mais Recentes da CNN