Itália registra protestos contra novas medidas de quarentena no país

A polícia respondeu com rajadas de gás lacrimogêneo enquanto tentava restaurar a ordem na cidade, capital da rica região de Piemonte

Crispian Balmer, da Reuters

Ouvir notícia

 

Protestos estouraram em toda a Itália nesta segunda-feira (26), contra uma nova rodada de restrições governamentais que visam conter a segunda onda da Covid-19 no país. Manifestações violentas foram relatadas em pelo menos duas grandes cidades do norte, Milão e Torino.

Testemunhas disseram que várias lojas de luxo, como a Gucci, foram saqueadas no centro de Turim enquanto multidões de jovens saíam para as ruas após o anoitecer, soltando fogos de artifício enormes e acendendo sinalizadores coloridos.

A polícia respondeu com rajadas de gás lacrimogêneo enquanto tentava restaurar a ordem na cidade, capital da rica região de Piemonte.

Assista e leia também:

Brasil vive momento de recuo da pandemia, mas 2ª onda na Europa acende alerta
Itália retoma restrições; premiê diz que país ‘não pode arcar’ com 2º lockdown
2ª onda de Covid-19 se agrava e ao menos três países europeus ampliam restrições

Também ocorreram confrontos em Milão, capital da vizinha região da Lombardia, área que sofreu o maior impacto da pandemia da Covid-19 na Itália.

“Liberdade, liberdade, liberdade”, gritavam as multidões enquanto enfrentavam a polícia no centro da cidade.

O governo italiano ordenou no domingo (25) o fechamento até às 18h de bares e restaurantes, e o fechamento provisório de academias, cinemas e piscinas públicas para tentar retardar a segunda onda de infecções pelo coronavírus que está afetando grande parte do país.

Várias regiões, incluindo Lombardia e Piemonte, também impuseram toques de recolher noturnos.

Muitas pequenas empresas, ainda gravemente feridas por um bloqueio nacional inicial em março e abril, dizem que as novas restrições podem levá-las à falência.

Embora os italianos tenham cumprido pacificamente a quarentena da primavera, houve um retrocesso imediato contra as novas restrições. Os manifestantes tomaram as ruas de até uma dúzia de cidades nesta segunda-feira, incluindo Treviso, Trieste, Viareggio, Latina, Roma, Nápoles, Salerno, Palermo, Siracusa e Catania.

Procurando acalmar as tensões, o governo disse que apresentará um pacote de medidas nesta terça-feira (27) para apoiar as empresas prejudicadas pelas novas restrições.

A Itália, que já foi o país mais atingido pela pandemia na Europa, foi ultrapassada em número de casos confirmados pela França e Grã-Bretanha. Mas as taxas de infecção têm se recuperado rapidamente desde o início de outubro.

Mais Recentes da CNN