Itália usa poderes da UE e bloqueia exportação de vacinas para Austrália

País é o primeiro a colocar em prática permissão do bloco

Nicola Ruotolo, James Frater e Zamira Rahim, da CNN

Ouvir notícia

A Itália invocou os poderes da União Europeia para bloquear nesta quinta-feira (4) a exportação de 250 mil doses de vacina contra a Covid-19 para a Austrália. O ato representa um agravamento da disputa entre a UE e a farmacêutica AstraZeneca.

Paola Ansulini, porta-voz do primeiro-ministro italiano Mario Draghi, confirmou a decisão à CNN, afirmando que o movimento foi realizado com a aprovação da Comissão Europeia. 

A história foi antecipada pelo jornal Financial Times.

O governo da Itália é o primeiro a acionar uma cláusula permitida em janeiro pela Companhia Europeia, que estabeleceu em janeiro situações em que os países que integram o bloco poderiam vetar a exportação de vacinas contra a Covid-19.

Bandeira da Itália
Bandeira da Itália
Foto: Pixabay

 A União Europeia e a AstraZeneca estão em conflito desde o início do ano, após atraso em entrega de vacinas, com a companhia dizendo ao bloco que entregaria dezenas de milhões menos doses do que o que foi acertado em março do ano passado.

A UE afirma que o novo mecanismo não vai afetar ajudas humanitárias ou as doses direcionadas ao Covax Facility, consórcio da Organização Mundial da Saúde (OMS) que pretende distribuir 2 bilhões de doses aos países mais pobres.

Apenas 5,5% da população de 447 milhões de pessoas do bloco, distribuída em 27 países, já recebeu a primeira dose de vacina contra a Covid-19, segundo a OMS. 

CNN procurou a AstraZeneca, mas não obteve resposta até o momento. A Comissão Europeia diz “não ter se oposto” à decisão da Itália, afirmou um oficial à CNN.

(Texto traduzido, clique aqui para ler o original em inglês) 

Mais Recentes da CNN