Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Itamaraty vê eleição argentina em aberto com favoritismo de Massa, dizem fontes

    Avaliação é de que Milei perdeu “punch” na reta final ao buscar aproximação com políticos de direita que representam a “casta” que ele sempre criticou, como Mauricio Macri e Patricia Bullrich

    Caio Junqueira

    Diplomatas brasileiros com quem a CNN conversou — e que estão envolvidos no pleito argentino — apontam uma eleição ainda em aberto com tendência de crescimento do candidato peronista Sergio Massa na reta final contra o ultralibertário Javier Milei.

    A avaliação é de que Milei perdeu “punch” na reta final ao buscar aproximação com políticos de direita que representam a “casta” que ele sempre criticou, como Mauricio Macri e Patricia Bullrich.

    Além disso, a leitura brasileira é de que Massa ganhou com ampla margem o debate de domingo (12), podendo ter conquistado votos de indecisos e de centro.

    Vídeo — Argentina: Entorno da Massa sai otimista de debate e aposta em polêmicas de Milei

    Também há a sensação de que nesses dias tem crescido o medo de um eventual governo Milei no eleitorado por falta de conhecimento — e esclarecimento — do que de fato ele faria no país.

    Diplomatas afirmaram ainda que a estratégia de Milei no segundo turno foi se afastar do Milei tradicional para conquistar o centro, enquanto a de Massa foi se desvincular do kirchnerismo e propor uma união nacional pela Argentina, ideia que na visão da diplomacia brasileira tem encontrado mais respaldo no eleitorado argentino nesses dias que antecedem a disputa.

    A diplomacia brasileira, porém, se prepara para os dois cenários. A leitura é de que, em caso de vitória de Massa, haverá uma continuidade na relação, embora com troca de peças do governo.

    Se Milei ganhar, por outro lado, o trabalho será um pouco mais árduo, mas não há previsão de que haverá uma ruptura.

    Nesta segunda-feira (13), a CNN revelou um movimento de aproximação da diplomacia brasileira com a campanha de Milei e que nas conversas os argentinos sinalizaram pragmatismo na relação caso Milei vença.

    Diplomatas brasileiros apontam ainda que a eventual relação de Lula (PT) com Milei será melhor do que a de Jair Bolsonaro (PL) com Alberto Fernández.