Japão oferece à Ucrânia US$ 100 milhões em empréstimos em demonstração de apoio

Rússia nega pretensão de invadir território ucraniano, mas cerca de 100.000 militares russos seguem na fronteira com o país

Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskiy
Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskiy Gleb Garanich/Reuters

Kiyoshi Takenakada Reuters

Ouvir notícia

O Japão está pronto para oferecer pelo menos 100 milhões de dólares em empréstimos de emergência à Ucrânia, disse o primeiro-ministro japonês, Fumio Kishida, ao presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy, nesta terça-feira (15), segundo o governo japonês em um resumo de seu telefonema.

A oferta ocorre no momento em que a Rússia acumulou mais de 100.000 soldados perto da fronteira com a Ucrânia, aumentando os temores de guerra e lançando uma sombra sobre a economia ucraniana. Moscou nega planejar invadir a Ucrânia, acusando o Ocidente de histeria.

Zelenskiy expressou sua gratidão pela oferta, de acordo com o resumo escrito da troca dos dois líderes.

Posteriormente, Kishida disse a repórteres que havia concordado com Zelenskiy em prosseguir com tenacidade os esforços diplomáticos para aliviar as tensões sobre o aumento militar russo.

Ele também disse que o Japão planeja tomar medidas apropriadas, incluindo possíveis sanções, se a Rússia invadir a Ucrânia, ecoando o que seu ministro das Relações Exteriores, Yoshimasa Hayashi, disse na terça-feira.

Mais Recentes da CNN