Japão vai hospitalizar apenas casos mais graves de Covid-19

Medida é adotada diante da sobrecarga na sistema de saúde japonês; Tóquio, cidade-sede das Olimpíadas, bateu recorde de casos neste domingo (1º)

Com máscaras de proteção, japoneses caminham por rua de Tóquio
Com máscaras de proteção, japoneses caminham por rua de Tóquio Foto: Koji Sasahara - 28.jul.2021/AP

Reuters

Ouvir notícia

O Japão vai hospitalizar apenas pacientes com Covid-19 que estão gravemente doentes e aqueles em risco de adoecimento, enquanto outros ficam isolados em casa, disseram as autoridades. A medida é adotada enquanto as preocupações com um sistema médico tensionado em meio a um aumento no número de casos na cidade-sede das Olimpíadas, a capital Tóquio, e em outros lugares.

O país tem visto um aumento acentuado nos casos de coronavírus e tem registrado mais de 10 mil novas infecções diárias em todo o país. Tóquio teve um recorde de 4.058 neste último sábado. Os hospitais de Tóquio já estão sentindo a crise, disse Hironori Sagara, diretor do Hospital Universitário Showa.

“Existem aqueles que estão sendo rejeitados repetidamente para admissão [em hospitais]”, disse Sagara. “Em meio à agitação com as Olimpíadas, a situação do pessoal médico é muito grave.”

O secretário-chefe de gabinete, Katsunobu Kato, disse a repórteres que menos idosos, a maioria dos quais já vacinados, estão se infectando. No entanto, as infecções em pessoas mais jovens tem aumentado.

“Por outro lado, as infecções de pessoas mais jovens estão aumentando e as pessoas na faixa dos 40 e 50 anos com sintomas graves estão aumentando”, disse ele. “Com pessoas também sendo admitidas no hospital com insolação, algumas pessoas não conseguem ser internadas imediatamente e estão se recuperando em casa.”

O primeiro-ministro Yoshihide Suga, que anunciou a mudança nesta segunda-feira (2), disse que o governo garantirá que as pessoas que se isolam em casa possam ser hospitalizadas, se necessário. A política anterior tinha se concentrado na hospitalização de uma categoria mais ampla de pacientes. Mas alguns temem que a mudança possa levar a mais mortes.

“Eles chamam de tratamento em casa, mas na verdade é abandono em casa”, disse o líder da oposição do Partido Democrático Constitucional do Japão, Yukio Edano, à TV pública NHK.

O Japão expandiu nesta segunda-feira (2) seu estado de emergência para incluir três prefeituras próximas a Tóquio e a prefeitura de Osaka. Um estado de emergência existente em Tóquio – a quarta desde o início da pandemia – e Okinawa deve durar até 31 de agosto.

Variante Delta e pressão no sistema de saúde

O país evitou um surto devastador do vírus, com cerca de 932 mil casos no total e pouco mais de 15 mil mortes até domingo. Mas agora está lutando para conter a variante Delta altamente transmissível, mesmo enquanto o público está se cansando dos limites voluntários em suas atividades e do atraso na implantação da vacinação.

Quase 30% da população está totalmente vacinada, incluindo três quartos das pessoas com 65 anos ou mais. Quase 70% dos leitos hospitalares para pacientes com Covid-19 gravemente doentes foram preenchidos até este domingo, mostraram dados de Tóquio.

Anúncio da Olimpíada em Tóquio
Anúncio da Olimpíada em Tóquio
Foto: Takashi Aoyama/Getty Images

Sagara, do Hospital Universitário Showa, disse que havia uma diferença entre leitos teoricamente disponíveis e leitos que poderiam aceitar pacientes imediatamente.

“Acho que o último está próximo de zero”, disse ele, acrescentando que, se as infecções continuarem aumentando, os hospitais terão que limitar as cirurgias e outros tratamentos não Covid-19.

“Devemos evitar uma situação em que as Olimpíadas tenham sido realizadas, mas o sistema médico entrou em colapso”, disse ele. “No momento, as infecções estão se espalhando muito e, se aumentarem ainda mais, [as Olimpíadas] serão consideradas um fracasso.”

De acordo com as diretrizes do Ministério da Saúde, pacientes gravemente enfermos são definidos como aqueles internados em unidades de terapia intensiva (UTIs) ou que precisam de respiradores artificiais.

O jornal Tokyo Shimbun disse que 12 mil pacientes estavam se isolando em casa, um aumento de 12 vezes se comparado ao mês passado.

Especialistas médicos, no entanto, disseram que a realização das Olimpíadas enviou uma mensagem confusa sobre a necessidade de ficar em casa, contribuindo para o aumento das infecções.

Ao contrário das restrições voluntárias e das baixas taxas de vacinação em outras partes do Japão, mais de 80% das pessoas na vila olímpica de Tóquio para atletas e treinadores estão vacinadas, os testes são obrigatórios e o movimento é reduzido. 

Os organizadores anunciaram nesta terça-feira (3), 18 novos casos Covid-19 relacionados aos Jogos, elevando o total desde 1º de julho para 294 casos do coronavírus.

Reportagem de Linda Sieg, Akiko Okamoto e Kiyoshi Takenaka; reportagem adicional de Ritsuko Ando, ??Ami Miyazaki e Tim Kelly; edição por Gerry Doyle e Nick Macfie

Mais Recentes da CNN