Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Jordânia cancela encontro com Biden e líderes egípcios e palestinos nesta quarta (18) em Amã

    Antes do anúncio da Jordânia, o presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, cancelou a reunião que teria com Biden

    Da CNN

    A Jordânia cancelou um encontro que ocorreria nesta quarta-feira (18) entre o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e líderes egípcios e palestinos em Amã.

    O anúncio ocorre após o ataque ao Hospital Batista Al-Ahli, na região norte da cidade de Gaza nesta terça-feira (17).

    Antes do anúncio da Jordânia, o presidente da Autoridade PalestinaMahmoud Abbas, cancelou a reunião que teria com Biden.

    Vídeo — À CNN, porta-voz do Hamas acusa Biden de “cair na narrativa de Israel”

    A decisão ocorre na véspera da visita de alto risco do presidente dos Estados Unidos à região no Oriente Médio, em guerra desde a madrugada do dia 7 de outubro.

    A visita de Biden a Israel foi confirmada na segunda-feira (16) pelo secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken.

    Abbas está viajando para Ramallah, na Cisjordânia, e convocou uma reunião urgente da liderança palestina para esta noite.

    Autoridades palestinas disseram que entre 200 e 300 pessoas foram mortas em um ataque israelense, citando estimativas preliminares.

    O governo de Israel nega autoria do ataque e responsabiliza a Jihad Islâmica.

    Em comunicado, assinado pelo porta-voz das Forças de Defesa de Israel (IDF, na sigla em inglês, FDI em português), o governo israelense afirma que “a partir da análise dos sistemas operacionais das FDI, foi lançada uma barragem de foguetes inimigos em direção a Israel que passou nas proximidades do hospital, quando este foi atingido”.

    De acordo com a agência Reuters, o porta-voz da Jihad Islâmica Palestina negou que o grupo seja responsável pelo ataque.

    (Publicado por Daniel Fernandes, com informações de Abeer Salman, da CNN, e da Reuters)