Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Kiev pede que Otan proteja o Mar Negro e integre defesas ucranianas

    Comentários do ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba, foram rechaçados pelo porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov

    Faixas com o logo da Otan na sede da entidade, em Bruxelas
    Faixas com o logo da Otan na sede da entidade, em Bruxelas Divulgação

    Luiza IlieJason Hovetda Reuters

    O ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba, disse nesta quinta-feira (13) que a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) deveria desempenhar um papel maior na segurança do Mar Negro e integrar as defesas aéreas e antimísseis da Ucrânia.

    O Mar Negro e a costa ucraniana têm sido um palco importante da guerra, desde a invasão Rússia no ano passado.

    “O Mar Negro é fundamental para tornar toda a Europa pacífica e voltada para o futuro”, disse Kuleba, durante videoconferência de segurança do Mar Negro, em Bucareste, capital da Romênia.

    “Infelizmente, é também uma vitrine de como as coisas podem se deteriorar rapidamente se negligenciarmos as ameaças. É hora de transformar o Mar Negro no que o Mar Báltico se tornou, um mar da Otan“, completou.

    Os comentários de Kiev foram rechaçados por Moscou, onde o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse que “o Mar Negro nunca pode ser um mar da Otan“.

    “Este é um mar compartilhado, precisa ser um mar de cooperação, interação e segurança para todos os seus estados litorâneos. E esta segurança é indivisível”, acrescentou ele.

    Tanto a Rússia quanto a Ucrânia dependem do Mar Negro para o comércio, incluindo o abastecimento do mercado de grãos como dois dos maiores exportadores de alimentos do mundo.

    Um bloqueio russo ameaçou causar uma crise global de alimentos no ano passado, até que as Organização das Nações Unidas (ONU) e a Turquia negociaram um acordo para manter os portos abertos.