Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Kremlin diz que notícias sobre primeiro navio de grãos a deixar Odessa são “muito positivas”

    O Razoni, com bandeira de Serra Leoa, deixou o porto nesta segunda-feira (1º) com um carregamento de milho, com destino a Beirute, no Líbano

    Cargueiro com bandeira de Serra Leoa e levando grãos ucranianos parte do porto de Odessa, na Ucrânia
    Cargueiro com bandeira de Serra Leoa e levando grãos ucranianos parte do porto de Odessa, na Ucrânia 01/08/2022 Alexander Kubrakov/Ministério da Infraestrutura da Ucrânia/Divulgaçãovia REUTERS

    Da Reuters

    Ouvir notícia

    O Kremlin disse, nesta segunda-feira (1º), que as notícias do primeiro navio transportando grãos a deixar o porto ucraniano de Odessa sob um acordo intermediado pela Turquia são “muito positivas”.

    O Razoni, com bandeira de Serra Leoa, deixou o porto nesta segunda com um carregamento de milho, com destino a Beirute, no Líbano.

    Odessa, juntamente com outros portos ucranianos do Mar Negro, estava bloqueado desde o início da invasão da Ucrânia pela Rússia em 24 de fevereiro.

    Após meses de guerra, primeiro navio com grãos deixa porto de Odessa, na Ucrânia

    Após mais de cinco meses de guerra, o primeiro navio ucraniano de transporte de grãos deixou o porto de Odessa, no sul da Ucrânia, na manhã desta segunda-feira (1º). Segundo o ministro de Infraestrutura do país, Oleksandr Kubrakov, a embarcação está carregada com 26 mil toneladas de milho ucraniano.

    Kubrakov informou que o navio deixou Odessa pouco depois das 9h30, hora local (3h40 no horário de Brasília), passará por uma inspeção em Istanbul, na Turquia, antes de chegar no porto de Trípoli, no Líbano.

    O Razoni, que está sob a bandeira de Serra Leoa, percorrerá um corredor com segurança garantida pela Turquia e pela Organização das Nações Unidas (ONU).

    A Ucrânia é o 4º maior exportador de milho no mundo, atrás de Estados Unidos, Argentina e Brasil. O desbloqueio dos portos ucranianos é considerado essencial par garantir a segurança alimentar global.

    Segundo Kubrakov, a reabertura dos portos ucranianos proporcionará pelo menos US$ 1 bilhão para a economia do país. Nas redes sociais, o ministro agradeceu à ONU e à Turquia pelo trabalho de preparação para exportação, e reforçou o apoio da Europa e dos EUA para desbloquear os portos da Ucrânia.

    Navio Razoni no porto de Odessa, no sul da Ucrânia / Reprodução/Facebook Oleksandr Kubrakov

    Mais 16 navios aguardam sua vez para deixar o porto de Odessa, afirmou Kubrakov.

    Rússia e Ucrânia assinaram um acordo em 22 de julho para reabrir os portos ucranianos no Mar Negro para exportação de grãos. Entretanto, um dia depois, mísseis russos atingiram o porto de Odessa e colocaram em cheque o tratado entre os dois países.

    O ataque foi condenado por autoridades ucranianas e pela ONU, que reforçou as garantias de paz da Rússia para a reabertura dos portos da Ucrânia.

    Mais Recentes da CNN