Kremlin diz que pena de morte para americanos capturados não pode ser descartada

Segundo Dmitry Peskov, Kremlin não tem a localização de dois cidadãos dos EUA detidos na Ucrânia

Porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, durante entrevista coletiva em Moscou
Porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, durante entrevista coletiva em Moscou Evgenia Novozhenina/Reuters (23.dez.2021)

Da Reuters

Ouvir notícia

O Kremlin disse nesta terça-feira (21) que os cidadãos norte-americanos capturados na Ucrânia estão sujeitos a decisões judiciais e não descartou que possam enfrentar a pena de morte.

“Não podemos descartar nada, porque são decisões judiciais. Não comentamos sobre elas e não temos o direito de interferir”, disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, à repórteres.

Ele disse que o Kremlin não sabia onde os homens estavam agora, depois que suas famílias disseram que eles não haviam retornado de uma missão na região de Kharkiv.

Na segunda-feira, o Kremlin disse que os dois americanos detidos na Ucrânia eram mercenários não abrangidos pelas Convenções de Genebra e deveriam enfrentar consequências por suas ações.

Segundo Peskov, os dois americanos “são mercenários. Eles estavam envolvidos em atividades ilegais no território da Ucrânia, como atirar e bombardear nossos militares. Eles estavam colocando vidas em risco”.

 

*Este conteúdo foi produzido na Rússia, onde a lei restringe a cobertura de operações militares russas na Ucrânia.

Mais Recentes da CNN