Líder supremo do Irã pede banimento de ‘vacinas ocidentais’ contra Covid-19

Aiatolá Ali Khamenei afirmou que pediu às autoridades sanitárias para impedirem a entrada dos imunizantes no país

Líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, durante reunião em Teerã
Líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, durante reunião em Teerã Foto: Khamenei/Divulgação/Reuters

Ramin Mostaghim, da CNN, em Teerã

Ouvir notícia

O líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, disse nesta sexta-feira (08) que não confia nas vacinas contra o coronavírus produzidas nos países ocidentais e pediu às autoridades que proibissem a entrada dessas vacinas no país.

“Não devemos importar vacinas (Covid-19) dos EUA, Reino Unido ou mesmo da França. Não confio neles”, disse Khamenei em um discurso à nação transmitido pela mídia estatal.

Leia também:
Reino Unido aprova vacina da Moderna contra Covid-19
Vacina da Pfizer parece ser eficaz contra mutação da Covid-19, diz estudo
Mutação mais contagiosa pode ter causado reinfecção na BA, diz estudo preliminar

Isso ocorre em um momento em que as autoridades iranianas reclamam das sanções de “pressão máxima” do presidente dos EUA, Donald Trump, que dificultam sua luta contra a Covid-19.

O ministro das Relações Exteriores do Irã, Javad Zarif, já havia acusado os EUA de impedir o Irã de fazer um pagamento à Covax, uma iniciativa liderada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que visa fornecer acesso mundial a vacinas eficazes contra Covid-19.

“Os Estados Unidos até nos impedem de usar nosso próprio dinheiro em diferentes países para pagar a Covax pela vacina”, disse Zarif, acrescentando: “Temos tentado, nosso Ministério da Saúde tem tentado, nosso Banco Central tem tentado transferir dinheiro que temos em bilhões em outros países para a OMS para Covax e não tivemos muito sucesso.”

No mês passado, o presidente iraniano, Hassan Rouhani, disse que seu governo planeja produzir sua própria vacina Covid-19 “com a ajuda de cientistas iranianos” e comprar vacinas do exterior, segundo a agência de notícias estatal IRNA.

Mais Recentes da CNN