Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Linha do tempo: relembre ameaças de Putin para guerra nuclear desde a invasão da Ucrânia

    Analistas de segurança ocidentais dizem que as declarações do presidente russo têm por objetivo dissuadir e intimidar

    Mark Trevelyanda Reuters em Londres

    O presidente russo, Vladimir Putin, disse, nesta quarta-feira (13), que a Rússia está “tecnicamente pronta” para uma guerra nuclear.

    Esse é o mais recente de uma série de alertas que ele fez ao Ocidente nos dois anos desde que lançou a invasão da Ucrânia.

    Analistas de segurança ocidentais dizem que as declarações de Putin têm por objetivo dissuadir e intimidar, mas não impediram os Estados Unidos e os seus aliados da Otan de fornecerem ajuda, informações, treino e armas à Ucrânia – incluindo tanques e mísseis de longo alcance – de formas que eram impensáveis ​​no início da guerra.

    24 de fevereiro de 2022

    Putin diz em um discurso de lançamento de sua “operação militar especial” na Ucrânia que a Rússia é uma potência nuclear líder “e possui certas vantagens em alguns dos mais novos tipos de armamento”.

    “A este respeito, ninguém deveria ter quaisquer dúvidas de que um ataque direto ao nosso país levará à derrota e a consequências horríveis para qualquer potencial agressor”, afirmou.

    Mais tarde, ele acrescentou: “Quem tentar nos impedir, ou ameaçar o nosso país ou o nosso povo, deve saber que a resposta da Rússia será imediata e o levará a consequências que nunca enfrentou na sua história.”

    27 de fevereiro de 2022

    Putin diz que ordenou que as forças nucleares da Rússia ficassem em alerta máximo.

    21 de setembro de 2022

    Putin ordena a primeira mobilização militar da Rússia desde a Segunda Guerra Mundial e diz: “Se a integridade territorial do nosso país estiver ameaçada, usaremos sem dúvida todos os meios disponíveis para proteger a Rússia e o nosso povo – isto não é um blefe.”

    Presidente russo Vladimir Putin em entrevista a Tucker Carlson em Moscou / 6/2/2024 Sputnik/Gavriil Grigorov/Kremlin via REUTERS

    30 de Setembro de 2022

    Putin diz que os Estados Unidos criaram um “precedente” quando lançaram duas bombas atômicas sobre o Japão em 1945.

    9 de dezembro de 2022

    Putin diz que qualquer país que ousasse atacar a Rússia com armas nucleares seria varrido da face da terra.

    Ele diz que a Rússia não tem ordem para lançar um primeiro ataque nuclear preventivo, mas que as avançadas armas hipersônicas da Rússia garantiriam que a Rússia pudesse responder com força se alguma vez fosse atacada.

    22 de fevereiro de 2023

    Putin diz que a Rússia suspenderá a sua participação no Novo tratado START com os Estados Unidos que limita o número de ogivas nucleares que cada lado pode utilizar.

    Ele diz que a Rússia deve estar preparada para realizar um teste nuclear caso os Estados Unidos o façam.

    25 de março de 2023

    Putin diz que a Rússia fechou um acordo com a sua aliada Bielorrússia, que faz fronteira com a Ucrânia, para estacionar armas nucleares táticas no seu território.

    Ele diz que isto reflete as mobilizações que os Estados Unidos têm feito durante décadas em países aliados na Europa.

    5 de outubro de 2023

    Putin diz que não vê necessidade de mudar a doutrina russa que diz que pode usar armas nucleares no caso de um ataque nuclear ou de uma ameaça convencional à existência do Estado.

    Ele diz que qualquer ataque à Rússia provocaria uma resposta numa fração de segundo com centenas de mísseis nucleares aos quais nenhum inimigo conseguiria sobreviver.

    Putin diz que prefere Biden a Trump na disputa para presidente nos EUA / REUTERS

    “Acho que nenhuma pessoa de bom juízo e memória clara pensaria em usar armas nucleares contra a Rússia”, completou.

    Putin diz que a Rússia testou e em breve colocará em serviço de combate as suas mais recentes armas com capacidade nuclear, o míssil de cruzeiro Burevestnik e o míssil balístico intercontinental Sarmat.

    Ele diz que o parlamento deveria rever a posição da Rússia sobre o Tratado de Proibição Total de Testes para “espelhar” a posição dos Estados Unidos, que não o ratificou.

    Dentro de semanas, o parlamento retira a ratificação do tratado pela Rússia.

    22 de fevereiro de 2024

    Putin envia um sinal ao Ocidente ao fazer um voo curto num avião bombardeiro estratégico modernizado Tu-160M ​​com capacidade nuclear.

    29 de fevereiro de 2024

    Putin diz aos países ocidentais que correm o risco de provocar uma guerra nuclear se enviarem tropas para lutar na Ucrânia.

    Ele diz que eles “devem perceber que também temos armas que podem atingir alvos no seu território. Tudo isto realmente ameaça um conflito com o uso de armas nucleares e a destruição da civilização”.

    13 de março de 2024

    Questionado numa entrevista se a Rússia está realmente pronta para uma guerra nuclear, Putin diz: “Do ponto de vista técnico-militar, estamos, claro, prontos.”

    Ele diz, no entanto, que não vê pressa para um confronto nuclear e que a Rússia nunca enfrentou a necessidade de usar armas nucleares na Ucrânia.