Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Lula vai à Colômbia após Maduro aceitar ajuda de Petro para mediação na Venezuela

    Presidente virá com comitiva de 13 ministros a Bogotá e chega nesta terça-feira (16) à noite

    Presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Palácio do Planalto
    Presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Palácio do Planalto 08/04/2024REUTERS/Ueslei Marcelino

    Luciana Taddeoda CNN

    em Bogotá, na Colômbia

    O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) desembarca nesta terça-feira (16) em Bogotá para estreitar a cooperação e o comércio com a Colômbia e discutir a situação regional com o presidente da Colômbia, Gustavo Petro.

    A integração sul-americana e o processo eleitoral da Venezuela estão entre os assuntos a serem discutidos entre os presidentes. Na semana passada, Petro visitou a Venezuela e propôs mediar um diálogo entre o governo e a oposição para alcançar a paz política no país.

    “Ajude-nos em todo o possível para que haja paz e entendimento e não mintam mais sobre a Venezuela”, afirmou Nicolás Maduro nesta segunda (15), afirmando que achou “excelente” a proposta de Petro de se reunir com a oposição.

    Tanto o Brasil como a Colômbia têm fronteira com a Venezuela e são diretamente afetados pelo agravamento da crise no país vizinho e pela aplicação de sanções contra o país pelos Estados Unidos, o que agrava, por exemplo, a migração de venezuelanos.

    As eleições presidenciais do país acontecem em 28 de julho, mas María Corina Machado, vencedora das primárias opositoras, foi proibida de ocupar cargos públicos pelos próximos 15 anos após uma sentença do Judiciário do país.

    Ela indicou Corina Yoris como sua representante, mas a candidata substituta também não conseguiu se inscrever para as eleições. Na ocasião, o governo brasileiro afirmou que o impedimento é incompatível com o Acordo de Barbados, assinado entre governo e oposição venezuelanas com mediação da Noruega e facilitação de outros países, como o Brasil, que prevê garantias eleitorais para o pleito.

    Comitiva de 13 ministros

    Lula chega à Colômbia na noite desta terça (16) com uma ampla comitiva: ao todo, o presidente brasileiro estará acompanhado de 12 ministros, além de Margareth Menezes, que chegou antes a Bogotá, onde já cumpre agenda bilateral.

    Na manhã de quarta, Petro e Lula devem se reunir por cerca de duas horas na Casa de Nariño, palácio presidencial colombiano, por cerca de duas horas. O comércio entre os países teve um fluxo crescente desde 2003 e deve ser um dos focos das conversas, que serão sucedidas por um fórum empresarial Brasil-Colômbia.

    Além das trocas comerciais, os presidentes abordarão um amplo leque de temas, como cooperações técnico-bilaterais, integração de indígenas e afrodescendentes, desenvolvimento sustentável, cooperação policial, e devem assinar memorandos de entendimentos sobre o combate ao tráfico de pessoas e direitos humanos.

    Os países também abordarão questões como desenvolvimento agrário, gestão de território, combate à fome e cartografia, cooperação policial, integração regional e produtiva, segurança alimentar e infraestrutura.

    Lula estará na abertura da Filbo, a Feira Internacional do Libro de Bogotá, considerada o evento cultural mais importante da Colômbia, e que nesta edição tem o Brasil como homenageado e convidado de honra. Diversos representantes da cultura brasileira, como Hermeto Pascoal, participarão do evento.