Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Macron diz estar pronto para negociar cessar-fogo e acusa Putin de “duplicidade”

    Presidente francês foi o primeiro grande representante ocidental a conversar com o líder russo após o início da invasão

    Xiaofei Xuda CNN

    O presidente francês Emmanuel Macron está se posicionando como mediador entre a Rússia e a Ucrânia para um possível acordo de cessar-fogo.

    “Acho que é minha responsabilidade, tomar tais iniciativas quando forem solicitadas pela Ucrânia. Em seguida, enquanto condenamos e sancionamos a Rùssia, deixamos o caminho aberto para dia em que as condições possam ser atendidas, e assim podemos obter o fim das hostilidades para o povo ucraniano”, disse Macron.

    Os comentários foram realizados em entrevista coletiva conjunta nesta sexta-feira (25) em Bruxelas, após uma cúpula de emergência da União Europeia.

    Macron foi o primeiro grande líder ocidental a falar com o presidente russo, Vladimir Putin, após o início das ações militares russas. Eles conversaram antes da cúpula – mas o presidente francês admitiu que o telefonema não conseguiu muito, “já que o presidente russo escolheu a guerra”.

    Macron também acusou Putin de duplicidade, dizendo que ele e outros líderes europeus estavam discutindo “os detalhes dos acordos de Minsk” com Putin poucas horas antes de o presidente russo lançar a operação militar, referindo-se ao pacto de 2015 que estabeleceu um cessar-fogo na região.

    “Então sim, houve duplicidade. Sim, houve uma escolha deliberada e consciente do presidente Putin de lançar a guerra quando ainda poderíamos negociar a paz”, disse Macron.

    Na cúpula, os líderes da União Europeia assinaram uma nova rodada de sanções, descritas pelo presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, como “maciças” e “dolorosas” contra a Rússia e Belarus.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original