Mais de 100 mil crianças na Etiópia podem morrer por desnutrição, diz Unicef

Aumento é de dez vezes em relação aos níveis médios anuais, segundo o Fundo das Nações Unidas para a Infância

Foto: Getty Images (Lingbeek)

Reuters

Ouvir notícia

Mais de 100 mil crianças na região de Tigré, no norte da Etiópia, podem sofrer de desnutrição nos próximos 12 meses, o que coloca suas vidas em risco, um aumento de dez vezes em relação aos níveis médios anuais, segundo o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).

A porta-voz da Unicef, Marixie Mercado, afirmou após retornar de Tigré que uma a cada duas mulheres grávidas ou amamentando que foram examinadas na região estavam gravemente desnutridas, o que deixa tanto elas quanto seus bebês propensos a adoecer.

“Nossos piores medos sobre a saúde e o bem-estar das crianças naquela região de conflitos no norte da Etiópia estão sendo confirmados”, disse, em um briefing da ONU em Genebra.

“Não há estimativas de mortalidade”, acrescentou, pedindo acesso irrestrito e um “aumento maciço em assistência”.

Porta-vozes do primeiro-ministro e de uma força-tarefa do governo para Tigré não responderam imediatamente ao pedido por comentários sobre as estimativas da Unicef.

Os conflitos entre o governo central da Etiópia e a Frente de Libertação do Povo de Tigré começaram no último mês de novembro. A Frente reconquistou a maior parte da sua região natal em junho e julho, mas a maioria dos auxílios está bloqueada.

*Reportagem de Maggie Fick, em Nairóbi

Mais Recentes da CNN