Mais de 100 milhões de pessoas no mundo foram forçadas a fugir de suas casas, diz ONU

Segundo relatório, desse número, 32,1 milhões são refugiados

Abrigo de refugiados ucranianos na Polônia
Abrigo de refugiados ucranianos na Polônia Foto: Agnieszka Majchrowicz/Anadolu Agency via Getty Images

Catherine E. Shoichetda CNN

Ouvir notícia

Guerra, violência, perseguição e abusos dos direitos humanos levaram o mundo a ultrapassar um “marco dramático”, de acordo com um novo relatório da agência de refugiados da Organização das Nações Unidas (ACNUR)

Mais de 100 milhões de pessoas foram forçadas a fugir de suas casas, de acordo com o Relatório de Tendências Globais do ACNUR, que descreve esse número como um recorde.

“Ou a comunidade internacional se une para tomar medidas para enfrentar essa tragédia humana, resolver conflitos e encontrar soluções duradouras, ou essa terrível tendência continuará”, disse o alto comissário da ONU para Refugiados, Filippo Grandi, em um comunicado.

A agência da ONU anunciou pela primeira vez o número recorde em maio. Na época, Grandi o descreveu como “real e alarmante”. O relatório desta quinta-feira (16) explora as tendências por trás dele com mais detalhes.

“Com milhões de ucranianos deslocados no momento em que escrevo, bem como outros deslocamentos em outros lugares este ano, principalmente em Burkina Faso e Mianmar, o total de deslocamentos forçados agora ultrapassa 100 milhões de pessoas”, diz o documento.

“Isso significa que um em cada 78 pessoas na Terra foi forçada a fugir — um marco dramático que poucos esperariam uma década atrás”.

A ACNUR diz que o último número de deslocamento forçado inclui 60,1 milhões de deslocados internos, 32,1 milhões de refugiados, 4,5 milhões de requerentes de asilo e 4,4 milhões de venezuelanos deslocados no exterior. Isso soma um número que é maior do que a população da maioria dos países.

David Miliband, presidente e CEO do Comitê Internacional de Resgate, descreveu o número de 100 milhões como uma “marca terrível” que mostra “fracasso global”. “Será o prelúdio de números cada vez mais altos sem uma ação urgente”, alertou, pedindo aumento dos compromissos de reassentamento de refugiados e aumento da ajuda humanitária às zonas de crise.

Campo de refugiados na Tailândia / 25/10/2021 Comitê Internacional de Resgate/Divulgação via REUTERS

Milhões de ucranianos foram forçados a fugir

O relatório da ONU divulgado nesta quinta-feira concentra-se em grande parte em 2021, observando que o ano foi “talvez mais notável pelo grande número de conflitos existentes que aumentaram e novos conflitos que surgiram”. Mas os autores observam que os desenvolvimentos no início de 2022 eram impossíveis de ignorar.

Mais de sete milhões de ucranianos foram deslocados dentro do país devido à guerra, e mais de seis milhões de refugiados fugiram da Ucrânia, diz o relatório.

“É uma das maiores crises de deslocamento forçado desde a Segunda Guerra Mundial e certamente a mais rápida”, diz o relatório.

A Turquia recebeu a maior população de refugiados em 2021

Em 2021, diz o relatório, a Turquia recebeu a maior população de refugiados do mundo, quase 3,8 milhões de pessoas.

E o relatório diz que mais de dois terços do número de refugiados e venezuelanos deslocados no exterior vieram de apenas cinco países: Síria (6,8 milhões), Venezuela (4,6 milhões), Afeganistão (2,7 milhões), Sudão do Sul (2,4 milhões) e Mianmar (1,2 milhão).

O número de pessoas deslocadas em todo o mundo aumentou a cada ano na última década e está no nível mais alto desde o início dos registros, segundo o levantamento.

A divulgação do relatório ocorre poucos dias antes do Dia Mundial do Refugiado, na segunda-feira (2), quando as organizações trabalham para aumentar a conscientização sobre a situação dos refugiados.

 

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN