Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Mais de 20 países vão integrar coalizão de proteção no Mar Vermelho, dizem EUA

    Ataques do movimento Houthi do Iêmen colocaram em risco embarcações na região

    Navio com contêineres atravessa Golfo de Suez em direção ao Mar Vermelho antes de entrar no Canal de Suez, em Al-'Ain al-Sokhna, no Egito
    Navio com contêineres atravessa Golfo de Suez em direção ao Mar Vermelho antes de entrar no Canal de Suez, em Al-'Ain al-Sokhna, no Egito 30/07/2023REUTERS/Mohamed Abd El Ghany

    Phil Stewartda Reuters

    Por Phil Stewart, da Reuters

    Mais de 20 países concordaram em participar da nova coalizão liderada pelos Estados Unidos para proteger o tráfego comercial no Mar Vermelho de ataques do movimento Houthi do Iêmen, disse o Pentágono na quinta-feira (21).

    Ainda assim, o anúncio do Pentágono sugere que ao menos oito países que aderiram à iniciativa se recusaram a serem identificados publicamente, o que mostra a sensibilidade operação em meio ao aumento das tensões regionais devido à guerra entre Israel e o Hamas.

    “Mais de 20 nações já se inscreveram para participar”, pontuou o major-general Patrick Ryder, observando as declarações da Grécia e da Austrália. “Deixaremos que outros países fiquem encarregados de falar sobre sua participação”, adicionou.

    Os Estados Unidos lançaram a Operação Guardião da Prosperidade nesta semana, afirmando que mais de 12 países concordaram em participar em um esforço que envolverá patrulhas conjuntas nas águas do Mar Vermelho perto do Iêmen.

    Cada país contribuirá com o que puder, ressaltou Ryder, apelidando a iniciativa de “coalizão dos dispostos”.

    “Em alguns casos isso incluirá embarcações. Em outros casos, poderá incluir agentes ou outros tipos de apoio”, explicou em entrevista coletiva.

    A crise no Mar Vermelho surgiu por conta da guerra entre Israel e o Hamas. Grupos apoiados pelos iranianos, incluindo os houthis e o Hezbollah, do Líbano, têm disparado foguetes contra Israel desde o início do conflito.

    Os houthis, entretanto, intensificaram os ataques no Mar Vermelho, ameaçando atingir todos os navios que se dirigem para Israel.