Mais de 400 crianças com câncer foram levadas para tratamento no exterior, diz Ucrânia

Voos estão sendo organizados com ajuda de lideranças estrangeiras e da primeira-dama da Ucrânia Olena Zelenska

Crianças na segunda maior cidade da Ucrânia vivem semanas de bombardeios das forças russas
Crianças na segunda maior cidade da Ucrânia vivem semanas de bombardeios das forças russas Foto: Jo Shelley/CNN

Hande Atay Alamda CNN

Ouvir notícia

Mais de 400 crianças ucranianas com câncer foram evacuadas para tratamento no exterior desde o início da guerra, segundo a Presidência ucraniana.

Os voos para transferir as crianças ucranianas com câncer que estão nas zonas de combate foram organizados com a ajuda da liderança de países estrangeiros e acordos entre a primeira-dama da Ucrânia Olena Zelenska e as primeiras-damas de outros países, disse um comunicado da presidência.

Os voos começaram nas “primeiras semanas da guerra por meio da cooperação com organizações voluntárias e médicas”, acrescentou o comunicado.

“Para garantir a segurança das crianças com câncer, elas são primeiro trazidas para Lviv — para o Centro Médico Infantil Especializado da Ucrânia Ocidental (ZUSDMC)”, disse o comunicado, acrescentando que “depois, acompanhados por equipes médicas, pacientes jovens juntamente com seus parentes são levados para a República da Polônia, para uma clínica Unicorn especialmente criada. Lá, as crianças são encaminhadas para tratamento permanente na Polônia ou em outros países europeus.” 

“Atualmente, mais de 400 pacientes jovens continuam o tratamento em países pacíficos”, segundo o comunicado.

Zelenska também agradeceu a todos os médicos envolvidos no esforço em sua página no Facebook e escreveu sobre a história de cada médico no Centro Médico Infantil Especializado da Ucrânia Ocidental.

“É hora de apresentar os médicos que fazem tudo isso, que vivem no trabalho, tratam não só doenças, mas também almas, porque durante a guerra eles se tornaram psicólogos, conselheiros, amigos, familiares para quem precisa”, escreveu ela.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN