Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Manifestante antiguerra interrompe transmissão do principal noticiário russo

    OVD-Info, grupo independente de monitoramento de protestos de direitos humanos, informou que a funcionária do canal estatal russo é Maria Ovsyannikova

    Da CNN*

    Ouvir notícia

    Uma manifestante antiguerra interrompeu, nesta segunda-feira (14), por volta das 21h30 no horário local, o principal noticiário da emissora estatal russa, Channel One, com um cartaz que pedia aos espectadores que “não acreditassem na propaganda” e “parassem a guerra” na Ucrânia.

    “E não acreditam na propaganda, aqui eles contam mentiras. Russos contra a guerra”, continua os dizeres da faixa.

    O que sabemos sobre a manifestante: A mulher que segura o cartaz é funcionária do canal, segundo o OVD-Info, um grupo independente de monitoramento de protestos de direitos humanos.

    Em seu canal no Telegram, a OVD-Info informou que a funcionária é Maria Ovsyannikova. Amigos de Ovsyannikova disseram ao OVD-Info que ela estava atualmente no Departamento de Polícia de Ostankino, em Moscou.

    A CNN não pode verificar de forma independente se a mulher vista interrompendo a transmissão de notícias é Ovsyannikova, mas as fotos em perfis de mídia social com o nome dela são correspondentes.

    A agência de notícias estatal russa TASS confirmou a reportagem da OVD-Info, citando uma fonte, e acrescentou que ela pode ser processada.

    A OVD-Info também obteve um vídeo supostamente feito por Ovsyannikova antes de interromper o noticiário.

    “O que está acontecendo agora na Ucrânia é um crime, e a Rússia é o país agressor, e a responsabilidade por essa agressão está na consciência de apenas uma pessoa. Esse homem é Vladimir Putin”, disse Ovsyannikova no vídeo, observando que seu pai é ucraniano e sua mãe é russa.

    “Infelizmente, nos últimos anos, tenho trabalhado no Channel One e fazendo propaganda do Kremlin, e agora tenho muita vergonha disso”, explica. “É uma pena que eu tenha permitido falar mentiras nas telas de TV, vergonha de ter permitido zumbificar o povo russo.”

    “Tenho vergonha de termos ficado em silêncio em 2014, quando tudo isso estava apenas começando”. “Nós não fomos a comícios quando o Kremlin envenenou Navalny, apenas assistimos silenciosamente a esse regime anti-humano e agora o mundo nos deu as costas para sempre, e outras dez gerações de nossos descendentes não serão capazes de desaparecer a vergonha desta guerra fraterna”.

    “Somos russos, pensantes e inteligentes, e só está em nosso poder acabar com toda essa loucura”. “Vá aos comícios e não tenha medo! Eles não podem transplantar todos nós!”, finaliza.

    Vídeos da interrupção rapidamente foram postados nas mídias sociais logo após a exibição. A CNN obteve o vídeo de uma transmissão ao vivo do perfil do Russia Channel One VK.

    (*Com informações da Reuters)

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original

    Mais Recentes da CNN