Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Rússia pode estar “ampliando seus alvos”, diz Pentágono após ataque perto de Lviv

    Exército russo fez um ataque ao centro de treinamento de Yavoriv, perto de Lviv, no Oeste da Ucrânia, no domingo (13)

    John Kirby, porta-voz do Pentágono
    John Kirby, porta-voz do Pentágono Anadolu Agency via Getty Images

    Ellie KaufmanJeremy Herbda CNN

    Ouvir notícia

    Um ataque aéreo russo que teve como alvo o centro de treinamento de Yavoriv, perto de Lviv, no domingo (13), é o terceiro ataque aéreo na parte mais a Oeste da Ucrânia, disse o porta-voz do Pentágono, John Kirby, durante uma coletiva nesta segunda-feira (14).

    Com o último ataque, “certamente parece que os russos estão ampliando seus alvos”, acrescentou Kirby.

    A instalação era o local onde os membros da Guarda Nacional da Flórida estavam treinando até deixarem a Ucrânia antes da invasão, mas nenhum empreiteiro, civil ou pessoal do governo dos EUA estava lá quando foi atingido, informou o porta-voz.

    Este local não era uma das rotas onde os EUA têm enviado assistência de segurança para a Ucrânia, acrescentou.

    O Pentágono não acredita que o ataque da Rússia a uma instalação de treinamento militar tenha sido um sinal de que o país estivesse visando a entrega de assistência de segurança estrangeira à Ucrânia.

    “Não estamos vendo este ataque como um esforço para atingir a entrega de assistência de segurança à Ucrânia”, disse.

    “Não vou falar sobre todas as modalidades de como continuamos a encontrar maneiras de ajudar a defesa da Ucrânia”, acrescentou. “Continuaremos a obter o máximo de assistência de segurança aos ucranianos o mais rápido possível e da maneira mais eficiente e eficaz. E há muitas maneiras diferentes pelas quais estamos buscando isso”.

    Kirby também destacou que o espaço aéreo sobre a Ucrânia continua “em disputa”.

    “Ainda avaliamos que a Rússia não tem superioridade aérea sobre a Ucrânia e que os ucranianos estão defendendo seu espaço com habilidade”, explicou.

    “É contestado porque os ucranianos estão encontrando maneiras de continuar tentando defender seu espaço aéreo e preservar sua própria mobilidade e espaço de manobra”, acrescentou.

    Um oficial de defesa reafirmou os comentários de Kirby sobre o espaço aéreo da Ucrânia, acrescentando que ele é “dinâmico” e há “tempos e lugares” onde a Rússia ou a Ucrânia “têm mais domínio”.

    O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, pediu repetidamente o estabelecimento de uma zona de exclusão aérea sobre o país, enquanto a Rússia continua os ataques. Os EUA e a Otan se opuseram à criação dessa área, alertando que tal movimento poderia levar a uma “guerra de pleno direito na Europa”.

    Secretário de defesa vai à Europa

    O secretário de Defesa dos Estados Unidos, Lloyd Austin, viajará para Bruxelas, na Bélgica, para participar da Reunião Ministerial de Defesa da Otan nesta semana. Ele então viajará para a Eslováquia e a Bulgária, informou Kirby, durante a coletiva.

    A viagem de Austin a Bruxelas e Eslováquia já havia sido anunciada, mas o porta-voz acrescentou que ele fará uma parada na Bulgária por um dia. Austin parte para a Europa em 15 de março.

    Na Bulgária, o secretário se reunirá com “líderes civis e militares seniores”.

    Daniel Maraccini, da CNN, contribuiu com reportagem para esta reportagem.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original

    Mais Recentes da CNN