Manifestantes cercam delegacia após morte de homem negro em Minneapolis

O homem identificado como Daunte Wright, de 20 anos, foi morto após abordagem policial neste domingo; a Guarda Nacional foi chamada para dispersar os protestos

Keith Allen, Adrienne Broaddus, Hollie Silverman e Joe Sutton, CNN

Com colaboração de Alta Spells, CNN

Ouvir notícia

Centenas de pessoas protestaram na noite deste domingo (11) em uma cidade de Minnesota depois que um homem negro foi baleado por um policial durante uma blitz de trânsito e acabou morrendo. 

A morte ocorreu no início da tarde deste domingo em Brooklyn Center, um subúrbio de Minneapolis, a cerca de 16 quilômetros de onde o ex-policial Derek Chauvin está sendo julgado pelo assassinato de outro homem negro, George Floyd. 

O governador de Minnesota, Tim Walz, identificou o homem morto neste domingo como Daunte Wright. “Gwen e eu estamos orando pela família de Daunte Wright enquanto nosso estado lamenta outra vida de um homem negro levada pela polícia”, escreveu Walz em um tweet.

A polícia disse que, por volta das 14h, tentava prender um homem durante uma blitz de trânsito depois de identificar que ele tinha mandados pendentes. Ele voltou para o veículo e um policial atirou nele, diz a versão oficial.

Ele ainda dirigiu por vários quarteirões antes de atingir outro veículo, segundo a polícia. Tim Gannon, o chefe de polícia de Brooklyn Center, disse que a polícia e a equipe médica tentaram salvar a vida do homem após o acidente, mas ele morreu no local.

Manifestação

Os manifestantes se reuniram na noite deste domingo e marcharam em direção ao Departamento de Polícia levando a uma “crescente agitação civil”, segundo declaração do prefeito da cidade, Mike Elliott. 

Imagens aéreas feitas por uma afiliada da CNN neste domingo mostraram vários carros da polícia ao redor do local onde Wright morreu. As ruas foram tomadas por uma multidão e o vídeo mostra pessoas tentando danificar as viaturas.

O estado enviou a Guarda Nacional de Minnesota e o prefeito de Brooklyn Center declarou toque de recolher às 6h desta segunda-feira (12), no horário local.

negro morto nos EUA durante abordagem policial
A mãe de Daunte Wright, jovem negro morto durante abordagem policial em Minnesota, nos Estados Unidos
Foto: Carlos Gonzalez/Star Tribune/Getty Image

Toque de recolher declarado e escolas fechadas

A mãe de Wright, Katie Wright, disse à outra afiliada da CNN que seu filho de 20 anos ligou para ela quando estava sendo parado pela polícia. 

“Ele disse que o pararam porque ele tinha purificadores de ar pendurados no espelho retrovisor”, disse a mãe, chorando. “Um minuto depois, liguei e a namorada dele, que estava como passageira, atendeu e disse que ele havia levado um tiro.”

“Ele não merecia ser baleado e morto assim”, disse a mãe de Daunte Wright. O Bureau of Criminal Apprehension (BCA) de Minnesota conduzirá uma investigação, disse o chefe de polícia. 

A Comunidade de Escolas de Brooklyn Center anunciou que as escolas serão fechadas nesta segunda-feira e as aulas passarão para o modelo à distância “por precaução” após o tiroteio, escreveu a superintendente, Carly Baker, em uma mensagem postada no site da instituição.

“Não processei totalmente a tragédia que ocorreu em nossa comunidade e estou priorizando a segurança e o bem-estar de nossos alunos, famílias, funcionários e membros da comunidade.”

Multidão em direção ao departamento de polícia

Cerca de 100 pessoas estavam no local da morte e entre 100 e 200 pessoas marcharam, mais tarde, em direção ao Departamento de Polícia da cidade, disse o comissário do Departamento de Segurança Pública (DPS) de Minnesota, John Harrington, em uma entrevista coletiva na noite deste domingo.

Multidão nas ruas de Minnesota após morte de homem negro
Uma multidão foi às ruas de Minnesota, nos Estados Unidos, neste domingo (12) após a morte de um homem negro durante abordagem policial
Foto: Sthepen Maturen/Getty Images

Depois do anoitecer, os grupos se reuniram em torno do Departamento de Polícia de Brooklyn Center, informaram equipes da CNN no local. Os oficiais mantiveram uma linha do lado de fora do departamento com alguns policiais posicionados no topo do edifício.

O comissário do Departamento de Segurança Pública de Minnesota disse que houve relatos de pessoas jogando pedras e outros objetos contra o prédio. Também houve relatos de tiros disparados nas redondezas, segundo Harrington.

Harrington afirmou ainda que, enquanto um grupo permaneceu no departamento de polícia, outro foi visto no Shingle Creek Mall, onde cerca de 20 empresas foram invadidas. A maior parte das pessoas que foi à sede da polícia de Brooklyn Center foi dispersada.

Um representante da polícia disse em um alto-falante às 21h30 que a manifestação era ilegal e deu ao grupo 10 minutos para se dispersar. Cinco minutos depois, eles receberam outro aviso para sair antes que um barulho muito alto dispersasse parte da multidão, mas uma parte permaneceu. 

Harrington disse ainda que, na vizinha Minneapolis, uma equipe foi enviada para atender a chamados de invasões e tiros. “Você verá uma grande variedade de oficiais de polícia da Guarda Nacional, estaduais e locais trabalhando juntos nos próximos dois ou três dias”, disse Harrington.

(Este texto é uma tradução. Para ler o original, em inglês, clique aqui)

Protestos pela morte de Daunte Wright nos EUA
Familiares e amigos de Daunte Wright, morto neste domingo (11) durante uma blitz de trânsito, em Minnesota
Foto: aron Lavinsky/Star Tribune/Getty Images

Mais Recentes da CNN