Michelle Obama diz que enfrenta ‘leve depressão’

Em podcast, ex-primeira-dama dos EUA revela que pandemia, questões raciais e o conflito político no país lhe causaram preocupação e ansiedade

Michelle Obama (D) afirmou que a pandemia, além de questões raciais e políticas, a deixaram com uma ‘leve depressão’
Michelle Obama (D) afirmou que a pandemia, além de questões raciais e políticas, a deixaram com uma ‘leve depressão’ Foto: Yen Duong - 9.dez.2019/ Reuters

Allison Gordon, da CNN

Ouvir notícia

Michelle Obama, ex-primeira dama dos Estados Unidos, disse estar sofrendo de uma “leve depressão”. O motivo? A pandemia do novo coronavírus, as relações raciais nos EUA e o conflito político em torno dessas questões.

“Estou acordando no meio da noite porque estou preocupada com alguma coisa ou tenho uma sensação de peso”, disse no “Michelle Obama Podcast” publicado na quarta-feira (5).

“Tento fazer exercícios, embora tenha havido períodos ao longo desta quarentena nos quais me senti muito para baixo.” E este é um sentimento familiar para muitos americanos.

Uma pesquisa do Escritório do Censo dos EUA descobriu que 1 em cada 3 norte-americanos reportaram sintomas de depressão e ansiedade, mais de três vezes a taxa em pesquisa semelhante conduzida na primeira metade de 2019.

Assista e leia também:
Em documentário da Netflix, Michelle Obama busca equilíbrio sob holofotes
Vice-presidente Michelle Obama?

E como uma das melhores maneiras de combater o novo coronavírus é através do distanciamento social, as pessoas passam longos períodos de tempo sem ver amigos ou familiares, exacerbando o problema da solidão, que pode ser profundamente prejudicial à saúde mental.

Em seu podcast, Michelle também discutiu o reconhecimento do racismo nos Estados Unidos após a morte de George Floyd. Ela afirmou que é “exaustivo” estar “alerta para outra história de um homem negro ou de uma pessoa negra de alguma forma desumanizada, ferida, morta ou acusada falsamente de algo”.

A ex-primeira-dama também falou da frustração com as pessoas que se recusam a usar máscara. “É quase como se houvesse um limite para o nosso sacrifício, de cerca de um mês, e depois nos cansamos do vírus”, disse. “Foi desanimador ver tantas pessoas que se cansaram de ficar em casa porque o vírus não as afetou.”

Michelle enfatizou que apesar de os EUA já terem passado por tempos difíceis anteriormente, “este é um momento único na história”. “Estamos vivendo algo que ninguém da nossa geração já tenha vivido.”

Desde que deixou a Casa Branca, Michelle Obama participou de vários projetos, incluindo a publicação de seus memórias – que viraram best seller – e de um documentário na Netflix. Seu podcast no Spotify é a mais recente aventura criativa, com foco em “conversas e relacionamentos significativos”.

Seu primeiro convidado foi o marido e ex-presidente dos EUA, Barack Obama. Entre os próximos convidados estarão a mãe dela, o irmão, além do apresentador de talk-show Conan O’Brien e da conselheira da Casa Branca Valerie Jarrett.

Mais Recentes da CNN