Militantes comemoram decisão de julgamento do caso George Floyd; veja fotos

O ex-policial Derek Chauvin foi considerado culpado em todas as acusações

Foto: Sarah Silbiger/Getty Images

Nathallia Fonseca e Luana Franzão, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Nesta terça-feira (20), o ex-policial Derek Chauvin foi condenado pela morte de George Floyd, assassinado em 25 de maio de 2020 em uma abordagem policial. A decisão do juri foi unânime e veredicto foi lido na cidade de Minneapolis, no estado norte-americano do Minnesota.

Chauvin, que estava presente durante a abordagem, foi considerado culpado em todas as acusações: homicídio culposo (quando não há intenção de matar); assassinato em segundo grau; assassinato em terceiro grau. Após o resultado, militantes que pediam justiça pela morte de Floyd – considerada, também, um símbolo do racismo contra negros nos Estados Unidos – comemoraram nas ruas. Veja fotos: 

O caso

George Floyd foi morto na cidade americana de Minneapolis (no estado de Minnesota) no dia 25 de maio de 2020, após uma abordagem policial registrada por quem passava pelo local. Ele foi acusado de tentar utilizar uma nota falsa para pagar uma conta.

Ao ser detido, Floyd foi morto pelo policial branco Derek Chauvin ao ter seu pescoço pressionado pelo oficial durante 9 minutos e 29 segundos. No vídeo, ele afirma por diversas vezes que não conseguia respirar e a frase “I can’t breathe”, dita por Floyd, tornou-se um símbolo do movimento contra o racismo.

O policial Derek Chauvin foi dispensado pela polícia do estado de Minnesota após o ocorrido. O chefe da polícia de Mineápolis, Medaria Arradondo, afirmou que “a maneira como Chauvin rendeu Floys não esta de acordo com o treinamento e certamente não é parte da nossa ética e nossos valores”.

A morte de Floyd foi o estopim de uma onda de protestos nos Estados Unidos e em diversos outros países — Brasil, França, Alemanha, Inglaterra e Candá estão entre eles — do movimento Black Lives Matter (Vidas Negras Importam, em português), contra o racismo e violência policial contra negros.

Em 12 de março de 2021, a cidade de Minneapolis concordou em pagar US$ 27 milhões (cerca de R$ 150 milhões) à família de Floyd para que fosse encerrado um processo contra a cidade. Segundo advogado da família Floyd, Jacob Frey, foi o maior acordo pré-julgamento de um processo por homicídio culposo na história do país. 

Black Lives Matter

O movimento Black Lives Matter nasceu nos Estados Unidos durante protestos contra o racismo após a morte do adolescente Trayvon Martin, de 17 anos, em 2012, assassinado a tiros por um vigilante voluntário, George Zimmerman, um homem branco.

A partir de então, diversos protestos foram organizados com o objetivo de lutar contra o preconceito racial e questionar a atuação violenta de membros das forças de segurança contra jovens negros. O movimento ganhou força em 2013, após o assassinato de Michael Brown, morto a tiros em Ferguson, e Eric Garner, estrangulado em Nova York, por policiais.

A morte de George Floyd em 2020 foi um dos principais estopins de manifestações do movimento, que também protestou pela morte de outras vítimas negras, como Breonna Taylor, morta a tiros em Nova York.

Durante o mês de abril de 2021, dois outros jovens foram mortos e provocaram novas respostas nas ruas: Adam Toledo, de 13 anos, baleado em uma abordagem policial, e Daunte Wright, de 20 anos, baleado a 20 quilômetros de distância do local da morte de George Floyd. 

Mais Recentes da CNN