Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Ministro israelense pede resposta “desproporcional” que “abalará Teerã” após ataque do Irã

    Ministro das Finanças diz que Israel deveria fazer governo iraniano “lamentar o momento em que sequer pensou em disparar”

    Tanque israelense perto da fronteira com Gaza
    Tanque israelense perto da fronteira com Gaza 7/4/2024 REUTERS/Amir Cohen

    Benjamin BrownTamar Michaelisda CNN

    O Ministro das Finanças de Israel, Bezalel Smotrich, disse que a resposta de Israel ao ataque do Irã deveria infligir um “preço [de resposta] desproporcional” e “abalar Teerã” para dissuadir o país de futuras ofensivas.

    Ele afirmou que a resposta de Israel deveria fazer Teerã “lamentar o momento em que sequer pensou em disparar” e ser “feroz, severa e infligir um preço [de resposta] desproporcional”.

    Smotrich, que tecnicamente também é ministro do Ministério da Defesa de Israel devido a um acordo alcançado nos acordos de coligação, destacou à Rádio do Exército de Israel que a natureza da resposta iria “moldar a posição [de Israel] no Oriente Médio”.

    A resposta, segundo ele, “deveria abalar Teerã, para que todos lá percebam que não deveriam mexer conosco”, acrescentando que “esta é a língua falada no Oriente Médio”.

    O ministro, que lidera o partido de extrema-direita Sionismo Religioso, também ressaltou que Israel deve manter seus laços estratégicos com os Estados Unidos e outros parceiros, mas deve evitar que se encontre em um “abraço de urso, que irá limitar e tornar somos incapazes.”

    Smotrich não é membro do gabinete de guerra de Israel, órgão que o gabinete de segurança autorizou a decidir como responder ao ataque iraniano.

    À medida que as tensões na região se intensificam, muitos líderes mundiais apelaram por moderação enquanto Israel avalia a dimensão e o alcance da sua resposta ao Irã.