Rússia e Ucrânia registram recordes de mortes diárias por Covid-19

Moscou relatou 1.106 mortes nesta terça-feira (26) causadas pelo coronavírus, sexto recorde nos últimos oito dias; já Kiev relatou 734 vítimas da doença nas últimas 24 horas

Especialistas em trajes de proteção desinfetam estação ferroviária em Moscou
Especialistas em trajes de proteção desinfetam estação ferroviária em Moscou Foto: Maxim Shemetov - 19.out.2021/Reuters

Gleb Stolyarovda Reuters

Ouvir notícia

A Rússia relatou, nesta terça-feira (26), 1.106 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, o maior número desde o início da pandemia, em meio a um aumento de novos casos que levou as autoridades a reimpor medidas de bloqueio parcial.

As mortes diárias no país bateram recordes em seis dos últimos oito dias. A força-tarefa estatal contra a Covid-19 também relatou 36.446 novas infecções, em comparação com 37.930 no dia anterior.

O país paralisará locais de trabalho em todo o país na primeira semana de novembro, e a capital Moscou vai reimpor um bloqueio parcial a partir de quinta-feira (28), com apenas lojas essenciais como farmácias e supermercados autorizados a permanecer abertas.

As autoridades atribuíram o aumento das mortes e infecções às baixas taxas de vacinação. Como incentivo, o presidente Vladimir Putin ordenou que as pessoas vacinadas tenham dois dias de folga remunerados.

Ucrânia também tem recorde de mortes

Vizinha da Rússia, a Ucrânia registrou um recorde diário de 734 mortes relacionadas ao coronavírus nas últimas 24 horas, disse o Ministério da Saúde nesta terça-feira (26).
A marca anterior, de 614 mortes, era de 22 de outubro.

Os dados do ministério mostraram que 19.120 novas casos foram relatados nas últimas 24 horas. A Ucrânia tem um total de 2,8 milhões de casos de coronavírus e 64.936 mortes.

Mais Recentes da CNN