Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    “Não estamos em guerra com os Houthis”, dizem Estados Unidos

    Declaração acontece após quinto ataque contra o grupo rebelde em uma semana

    Houthis realizam exercícios militares após ataque dos EUA no Iêmen
    Houthis realizam exercícios militares após ataque dos EUA no Iêmen Reuters

    Da CNN

    Os Estados Unidos não estão em guerra com os Houthis do Iêmen, disse o Pentágono nesta quinta-feira (18), em declaração detalhando sua quinta ronda de ataques contra o grupo rebelde em uma semana.

    A porta-voz do Pentágono, Sabrina Singh, afirmou que os ataques dos EUA, incluindo o realizado nesta quinta-feira contra mísseis anti-navio, foram puramente defensivos.

    “Não estamos em guerra com os Houthis”, destacou Singh.

    “Os Houthis são aqueles que continuam lançando mísseis de cruzeiro, mísseis anti-navio contra marinheiros inocentes. O que estamos fazendo, com os nossos parceiros, é autodefesa”, argumentou.

    Biden diz que ataques continuarão

    O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, afirmou nesta quinta-feira (18) que os ataques contra os Houthis no Iêmen continuarão, mesmo se não conseguirem deter a ofensiva do grupo rebelde contra navios no Mar Vermelho.

    “Eles [ataques] estão impedindo os Houthis? Não. Eles vão continuar? Sim”, disse Biden antes de embarcar no Força Aérea Um, avião da Presidência dos EUA, para deixar a Casa Branca.

    EUA reclassificam Houthis como terroristas

    Na quarta-feira (17), os EUA reclassificaram os Houthi como entidade Terrorista Global Especialmente Designada.

    “Estes ataques são um exemplo claro de terrorismo, uma violação do Direito Internacional e uma grande ameaça às vidas e ao comércio global, colocando em risco a prestação de assistência humanitária”, afirmou um alto funcionário do governo americano na terça-feira (16).

    Em seguida, um membro do gabinete político do grupo rebelde afirmou que não irão parar os ataques contra navios ligados a Israel e aos EUA nos mares Vermelho e Arábico.

    “As operações das nossas forças navais nos mares Vermelho e Arábico continuarão a ter como alvo os navios israelenses ligados à entidade inimiga”, disse.

    *com informações da Reuters