Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Netanyahu diz que Israel avançará com invasão de Rafah e responde críticas de Biden

    Presidente dos EUA disse que primeiro-ministro de Israel deve prestar mais atenção às vidas inocentes que estão sendo perdidas

    Benjamin Netanyahu disse que a operação não duraria mais de dois meses
    Benjamin Netanyahu disse que a operação não duraria mais de dois meses REUTERS/Ronen Zvulun

    Mitchell McCluskeyda CNN

    O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, defendeu suas políticas na Faixa de Gaza depois que o presidente dos EUA, Joe Biden, disse que o líder israelense está “prejudicando Israel mais do que ajudando”.

    “Não sei exatamente o que o presidente quis dizer, mas se com isso ele quis dizer que estou seguindo políticas contra a vontade da maioria dos israelenses, e que isso está prejudicando os interesses de Israel, então ele está errado em ambos os aspectos”, disse Netanyahu em entrevista aos meios de comunicações “Politico” e “Bild”.

    Biden fez seus comentários durante uma entrevista à “MSNBC” que foi ao ar no sábado (9), quando disse que Netanyahu “deve prestar mais atenção às vidas inocentes que estão sendo perdidas como consequência das ações tomadas” em Gaza.

    Netanyahu disse que pretende avançar com uma invasão da cidade de Rafah, no sul de Gaza, apesar de Biden alertar que realizar a medida seria uma “linha vermelha”.

    “Nós iremos para lá. Nós não vamos embora. Você sabe, eu tenho uma linha vermelha. Você sabe o que é a linha vermelha? Que o 7 de outubro não volte a acontecer. Nunca mais acontece. E para fazer isso, temos que completar a destruição do exército terrorista do Hamas”, afirmou o primeiro-ministro.

    Netanyahu expressou ainda que a operação não duraria mais de dois meses, mas não deu detalhes sobre o cronograma.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original