Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Netanyahu diz que pedido de prisão de procurador do TPI contra ele é absurdo

    Primeiro-ministro afirmou que Israel trava "guerra justa" contra Hamas

    Da CNN

    O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, disse nesta segunda-feira (20) que a decisão do promotor do Tribunal Penal Internacional (TPI) de solicitar um mandado de prisão contra ele era absurda e que a medida tinha como objetivo atingir Israel como um todo.

    A informação sobre o pedido de prisão foi anunciada com exclusividade durante entrevista a Christiane Amanpour, âncora da CNN.

    “Rejeito a repulsiva comparação do procurador de Haia entre o Israel democrático e os assassinos em massa do Hamas”, pontuou Netanyahu.

    “Com que audácia você compara o Hamas que assassinou, queimou, massacrou, decapitou, estuprou e sequestrou nossos irmãos e irmãs e os soldados das FDI [Forças de Defesa de Israel], que travavam uma guerra justa”, adicionou.

    Falando durante reunião do grupo parlamentar do seu partido, o Likud, Netanyahu destacou ainda que o caso “não nos deterá”.

    “Continuaremos na guerra até que os reféns sejam libertados e o Hamas seja destruído”, acrescentou.

    O procurador do TPI também pediu mandado de prisão contra o ministro da Defesa israelense, Yoav Gallant, por “causar extermínio, causar fome como método de guerra, incluindo a negação de suprimentos de ajuda humanitária, visando deliberadamente civis em conflito”.

    Além disso, também solicitou as prisões de Yahya Sinwar, líder do Hamas, e outras autoridades do grupo armado.

    *com informações da Reuters