Novo conselho presidencial traz esperança de paz ao Iêmen após sete anos de guerra

Arábia Saudita também anunciou US$ 300 milhões para o fundo de ajuda humanitária da ONU ao Iêmen; analistas chamaram o anúncio de "grande avanço" no conflito

Cidadão iemenita observa destroços de ataque anterior da Coalizão Saudita, feito em 18 de janeiro; grupo nega autoria de ataque que matou cerca de 70 pessoas
Cidadão iemenita observa destroços de ataque anterior da Coalizão Saudita, feito em 18 de janeiro; grupo nega autoria de ataque que matou cerca de 70 pessoas Mohammed Hamoud/Getty Images

Mostafa SalemLianne Kolirinda CNN

Ouvir notícia

O presidente do Iêmen, Abd-Rabbu Mansour Hadi, foi substituído por um conselho presidencial recém-formado em uma tentativa de apoiar os esforços da ONU para acabar com a guerra civil de sete anos no país.

Analistas chamaram o anúncio de “grande avanço” no amargo conflito que foi descrito como a pior crise humanitária do mundo.
O conselho recém-formado de oito membros substitui Hadi, que é presidente há uma década desde a deposição do presidente Ali Abdullah Saleh em 2012, bem como o vice-presidente Ali Mohsen al-Ahmar.

“Delego irreversivelmente ao Conselho de Liderança Presidencial meus plenos poderes de acordo com a constituição e a Iniciativa do Golfo e seu mecanismo executivo”, disse Hadi, que mora em Riad, em um discurso televisionado.

Visto como uma guerra por procuração entre a Arábia Saudita e o Irã, o conflito é travado entre uma coalizão militar liderada pela Arábia Saudita e o grupo rebelde Houthi, que é apoiado por Teerã. Dezenas de milhares de pessoas foram mortas desde o início do conflito, enquanto milhões ficaram à beira da fome.

A Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos prometeram US$ 3 bilhões ao Banco Central do Iêmen após o anúncio da formação do conselho, disse a agência de notícias estatal saudita SPA.

O reino pediu ao conselho que inicie negociações com os houthis, apoiados pelo Irã, para alcançar uma “solução política abrangente”, acrescentou a SPA. Os houthis ainda não comentaram sobre o novo conselho presidencial.

A Arábia Saudita também anunciou US$ 300 milhões para o fundo de ajuda humanitária da ONU ao Iêmen e convocou uma conferência de doadores de ajuda para apoiar o Iêmen.

Presidindo o conselho estará o major-general Rashad al-Alimi, um político veterano e ex-assessor de Hadi. O príncipe herdeiro saudita Mohammed bin Salman se reuniu com al-Alimi após o anúncio, mostrou a televisão estatal saudita.

Outros membros incluem figuras apoiadas pelos Emirados Árabes Unidos, incluindo o chefe do Conselho de Transição do Sul, Aidarus Al-Zoubaidi, e Abdulrahman Al-Mahrami, comandante da Brigada dos Gigantes. Tarek Saleh, comandante militar e sobrinho do ex-presidente Ali Abdullah Saleh, fará parte do conselho.

De acordo com um comunicado oficial publicado no site das negociações do Iêmen em Riad, o conselho planeja formar um comitê consultivo de 50 especialistas.

Destacando o desenvolvimento, Peter Salisbury, analista sênior do Iêmen do International Crisis Group, twittou: “O anúncio de que Hadi está cedendo seus poderes a um conselho presidencial composto por importantes figuras políticas e militares com papéis diretos no terreno é um grande negócio. mudança conseqüente no funcionamento interno do bloco anti-huthi desde o início da guerra.”

Ele acrescentou: “Como isso realmente funcionará na prática será… complicado para dizer o mínimo”.

Gregory Johnsen, ex-membro do Painel de Especialistas da ONU sobre o Iêmen, disse em um tópico no Twitter: “Esta é uma tentativa, talvez um último esforço, de reconstituir algo semelhante à unidade dentro da aliança anti-Houthi. O problema é que não está claro como esses vários indivíduos, muitos dos quais têm visões diametralmente opostas, podem trabalhar juntos.”

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN