Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    O que sabemos sobre os objetos não identificados sobrevoando a América do Norte

    Três objetos foram abatidos por caças dos Estados Unidos no espaço aéreo norte-americano em uma semana

    Haley Britzkyda CNN

    Outro objeto não identificado foi abatido enquanto sobrevoava o norte do Canadá no sábado (11), marcando a terceira vez em uma semana que caças americanos derrubaram objetos no espaço aéreo norte-americano.

    Na sexta-feira (10), um objeto não identificado foi abatido no espaço aéreo do Alasca por um caça F-22 dos Estados Unidos e, no fim de semana passado, um balão de vigilância chinês também foi derrubado por F-22s na costa da Carolina do Sul.

    Não há nenhuma indicação neste momento de que os objetos não identificados tenham qualquer conexão com o balão de vigilância da China, mas parece que as autoridades de segurança nacional em todo o continente permanecem tensos. O espaço aéreo foi brevemente fechado sobre Montana e logo depois reaberto na noite de sábado, depois que uma anomalia no radar levou um jato a investigar a situação antes de tudo ser liberado.

    O que sabemos até agora

    O objeto não identificado que foi abatido no espaço aéreo canadense no sábado estava sendo rastreado desde a noite de sexta-feira, de acordo com um comunicado do porta-voz do Pentágono Brigadeiro General Patrick Ryder.

    Foi detectado pelo Comando de Defesa Aeroespacial da América do Norte (NORAD), e dois caças F-22 da Base Conjunta Elemendorf-Richardson, no Alasca, foram enviados para monitorar o objeto com a ajuda da Guarda Aérea Nacional do Alasca.

    Parece ser um “objeto cilíndrico” menor do que o balão de vigilância chinês derrubado anteriormente, disse a ministra da Defesa do Canadá, Anita Anand, em entrevista coletiva no sábado.

    “O monitoramento continuou hoje quando o objeto cruzou o espaço aéreo canadense, com as aeronaves canadenses CF-18 e CP-140 se juntando à formação para avaliar melhor o objeto”, disse a declaração de Ryder.

    O líder da maioria no Senado dos EUA, Chuck Schumer, disse à ABC News neste domingo (12) que foi informado sobre o objeto pelo conselheiro de segurança nacional da Casa Branca, Jake Sullivan, e que provavelmente era outro balão – assim como o objeto de alta altitude derrubado no Alasca na sexta-feira.

    O presidente dos EUA, Joe Biden, e o primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, aprovaram a derrubada do objeto no sábado, de acordo com um comunicado da Casa Branca.

    “O presidente Biden autorizou aviões de caça dos EUA designados ao NORAD para conduzir a operação e um F-22 derrubou o objeto em território canadense em estreita coordenação com as autoridades canadenses”, disse o comunicado da Casa Branca. “Os líderes discutiram a importância de recuperar o objeto para determinar mais detalhes sobre sua finalidade ou origem.”

    O objeto foi abatido com um míssil AIM-9X de um F-22 dos EUA – o mesmo míssil e aeronave que derrubou um objeto não identificado na sexta-feira e o balão de vigilância chinês em 4 de fevereiro.

    “O objeto estava voando a uma altitude de aproximadamente 12 quilômetros, havia entrado ilegalmente no espaço aéreo canadense e representava uma ameaça razoável à segurança de voos civis. O objeto foi abatido a aproximadamente 160 quilômetros da fronteira Canadá-Estados Unidos sobre o território canadense no centro de Yukon”, disse ela.

    A declaração de Ryder disse que, enquanto as autoridades canadenses conduzem operações de recuperação, o FBI estará “trabalhando em estreita colaboração com a Polícia Montada Real do Canadá”.

    O terceiro abate de aeronaves dos EUA em uma semana

    A derrubada de um objeto não identificado no sábado é o terceiro incidente desse tipo em uma semana.

    Na sexta-feira, um objeto não identificado foi abatido por um F-22 dos EUA sobre o espaço aéreo do Alasca depois de ter sido monitorado pelos EUA desde a noite de quinta-feira.

    Os pilotos deram relatos diferentes sobre o que observaram depois de se aproximarem do objeto, disse uma fonte informada sobre a inteligência à CNN; alguns pilotos disseram que “interferiu com seus sensores”, mas outros pilotos disseram que não experimentaram isso.

    O objeto voava a 12 quilômetros de altura, o que o tornava um risco para o tráfego civil. Isso o diferenciou do balão de vigilância chinês, que estava viajando “bem acima do tráfego aéreo comercial”, disse Ryder na época.

    O balão chinês foi abatido na costa da Carolina do Sul no último sábado, depois de viajar pelos Estados Unidos. Funcionários do governo Biden disseram que o balão representava pouca coleta de informações e risco militar.

    Suposto balão espião chinês abatido na costa de Surfside Beach / 04/02/2023 REUTERS/Randall Hill

    No entanto, representava um risco para pessoas e propriedades no solo se fosse abatido, pois as autoridades disseram que tinha cerca de 60 metros de altura e a carga pesava algumas centenas de quilos.

    Os militares dos EUA ainda estão trabalhando para recuperar os destroços do balão no fundo do oceano. Ryder disse na sexta-feira que eles “localizaram uma quantidade significativa de detritos até agora, o que será útil para nossa compreensão mais aprofundada deste balão e de suas capacidades de vigilância”.

    Reação do Congresso

    Os legisladores no Capitólio receberam a notícia de outros objetos abatidos com uma série de respostas no domingo.

    O presidente do Comitê de Inteligência da Câmara, Mike Turner, disse à CNN que o governo Biden parece “um tanto ansioso, embora isso seja certamente preferível ao ambiente permissivo que eles mostraram quando o balão espião chinês estava vindo sobre alguns de nossos locais mais sensíveis”.

    “O que eu acho que isso mostra, o que provavelmente é mais importante para nossa discussão política aqui, é que realmente temos que declarar que vamos defender nosso espaço aéreo. E então precisamos investir”, disse o republicano de Ohio. “Teremos que começar a olhar para o espaço aéreo dos Estados Unidos como algo que precisamos defender e que precisamos ter sensores apropriados para isso. Isso mostra alguns dos problemas e lacunas que temos. Precisamos preenchê-los o mais rápido possível, porque agora certamente verificamos que há uma ameaça.”

    O par democrata de Turner no painel de Inteligência, o deputado de Connecticut Jim Himes, disse ao “Meet the Press” da NBC que tinha “preocupações reais sobre por que o governo não está sendo mais direto com tudo o que sabe”, antes de acrescentar: “Meu palpite é que simplesmente não há muita informação para compartilhar.”

    Schumer, por sua vez, disse que o Congresso precisa investigar por que demorou tanto para os EUA descobrirem o uso de balões espiões pelo governo chinês.

    “Acho que (o senador democrata Jon Tester, de Montana) está investigando por que demorou tanto para nós, nossos militares, nossa inteligência, saber sobre esses balões. Isso é algo que eu apoio. O Congresso deveria olhar para isso. Essa é a pergunta que temos que responder”, disse ele. “Acho que nossos militares, nossa inteligência estão fazendo um ótimo trabalho, presente e futuro. Sinto muita confiança no que eles estão fazendo. Mas por que, desde o governo Trump, ninguém sabia disso?”

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original