OMS diz que mais de 80 ataques a serviços de saúde foram registrados na Ucrânia 

Pelos menos 72 pessoas teriam morrido em decorrência de tais ofensivas desde início da invasão russa

Hospital infantil em Mariupol após ataque
Hospital infantil em Mariupol após ataque MFA Ucrânia/Twitter

Virginia Langmaidda CNN

Ouvir notícia

Houve mais de 80 ataques à saúde na Ucrânia desde a invasão russa, de acordo com o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), dr. Tedros Adhanom Ghebreyesus.

“Estamos indignados com a continuidade dos ataques aos serviços de saúde. Desde o início da invasão da Federação Russa, houve 82 ataques aos serviços de saúde, resultando em pelo menos 72 mortes e 43 feridos, incluindo pacientes e profissionais de saúde”, disse ele em coletiva de imprensa nesta quarta-feira (30).

“Os ataques aos cuidados de saúde são uma violação do direito internacional humanitário e devem parar imediatamente.”

Dr. Mike Ryan, diretor do Programa de Emergências de Saúde da OMS, disse que há um “mundo de diferença” entre as questões de acesso à saúde durante um conflito em comparação com o conflito que visa ativamente os cuidados de saúde.

“É uma diferença muito grande entre essa situação e uma situação em que o acesso está sendo ativamente negado a uma população, onde o próprio corte de pessoas faz parte da tática. Faz parte da estratégia militar”, disse ele.

“Não são pessoas apanhadas no nevoeiro da guerra. Não são pessoas apenas apanhadas no conflito. São pessoas sendo diretamente alvejadas, negadas diretamente e usadas diretamente como implementos estratégicos, como peças de xadrez em um tabuleiro horrível e assassino que eles não têm o direito, ou não precisam ter”, disse ele.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN