OMS espera obter resultado sobre segurança da hidroxicloroquina até junho

Os pacientes que já participam do ensaio clínico Solidarity e utilizaram a hidroxicloroquina poderão concluir os seus tratamentos

Logo da Organização Mundial da Saúde (OMS) na sede da organização, em Genebra, Suíça
Logo da Organização Mundial da Saúde (OMS) na sede da organização, em Genebra, Suíça Foto: Denis Balibouse - 30.jan.2020/Reuters

Reuters

Ouvir notícia

A Organização Mundial da Saúde (OMS) prometeu nesta terça-feira (26) uma revisão rápida de dados sobre a hidroxicloroquina até meados de junho. Preocupações a respeito da confiabilidade do medicamento levaram a organização a suspender o uso do medicamento em um ensaio clínico na segunda-feira (25).

“Uma decisão final sobre os malefícios, benefícios ou falta de benefícios da hidroxicloroquina será tomada assim que os indícios tiverem sido analisados pela Comissão de Monitoramento de Dados de Segurança”, disse a organização em um comunicado. “[Uma decisão] é esperada para meados de junho”, afirmou a OMS. 

Assista e leia também:

OMS teme ‘epidemia silenciosa’ se África não priorizar exames para Covid-19
Mais uma vacina contra a Covid-19 começa a ser testada em humanos
Ficamos desapontados, aponta infectologista de Manaus sobre estudo da cloroquina

Os pacientes que já participam do ensaio clínico Solidarity e utilizaram o remédio – que estuda quatro medicamentos para o tratamento da Covid-19, entre eles a hidroxicloroquina – poderão concluir os seus tratamentos, disse a OMS.

Os recém-inscritos no ensaio, porém, receberão outros tratamentos que estão sendo avaliados pelo Solidarity, incluindo o remdesivir da Gilead Science e o Kaletra/Aluvia da AbbVie. Outros testes de hidroxicloroquina, incluindo um estudo norte-americano da farmacêutica suíça Novartis, com 440 pacientes, continuam, apesar de a OMS agir com cautela em relação ao medicamento. 

 

Mais Recentes da CNN