Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    ONU: Superlotação, água inadequada e saneamento precário impulsionam hepatite A em Gaza

    Casos suspeitos da doença aumentaram 16 vezes em janeiro de 2024, mais do que em todo o mês de novembro do ano passado

    Palestino observa local destruído por ataque isralense na Faixa de Gaza
    Palestino observa local destruído por ataque isralense na Faixa de Gaza 18/01/2024REUTERS/Fadi Shana

    Ibrahim DahmanCeline Alkhaldida CNN

    As infecções por hepatite A aumentaram na Faixa de Gaza devido a superlotação, falta de água potável e saneamento precário, disse a Agência das Nações Unidas de Assistência e Obras (UNRWA), citando o Ministério da Saúde de Gaza, dirigido pelo Hamas.

    A UNRWA afirmou que os casos suspeitos da doença aumentaram 16 vezes em janeiro de 2024, mais do que em todo o mês de novembro do ano passado.

    Milhares de pessoas deslocadas estão compartilhando banheiros e chuveiros, ressaltou a agência.

    O chefe da Organização Mundial da Saúde (OMS) destacou na semana passada que 24 casos de hepatite A em Gaza foram confirmados através de kits de teste e alertou para “condições de vida desumanas” que contribuem para a propagação da doença.

    A capacidade de diagnosticar doenças continua extremamente limitada. Não há laboratório funcionando. A capacidade de resposta também permanece limitada”, advertiu diretor-geral da OMS, Tedros Ghebreyesus, no X na quinta-feira (18).

    Na semana passada, nenhuma morte foi relatada em Gaza por hepatite A, de acordo com a OMS, mas milhares de pessoas com icterícia foram registradas “presumivelmente também devido à hepatite A”, ponderou Ghebreyusus.

    De acordo com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos, os sintomas da hepatite A podem incluir pele ou olhos amarelados, falta de vontade de comer, dor de estômago, vômitos, febre, urina escura ou fezes claras, diarreia, dor nas articulações e sensação de cansaço.

    Os adultos têm maior probabilidade do que as crianças de apresentar sintomas se estiverem infectados.