Otan não quer uma Guerra Fria com a China, diz Boris Johnson

Premiê britânico diz que 'há coisas que devem ser administradas juntas' com Pequim, mas que aliança também vê oportunidades de melhorar relação com chineses

Sarah Dean, da CNN

Ouvir notícia

A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) não quer uma nova Guerra Fria com a China apesar dos desafios representados pelo gigante asiático, disse o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, ao chegar à cúpula da aliança em Bruxelas nesta segunda-feira (14).

Johnson disse que há “coisas que devem ser administradas juntas”, mas que a Otan também vê “oportunidades” [de avançar na relação] com a China.

O premiê britânico também afirmou que presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, “levará mensagens muito duras ao presidente [russo, Vladimir] Putin nos próximos dias”.

Ainda de acordo com Johnson, a cúpula desta segunda envolverá discussões sobre “Afeganistão, Ucrânia e também as maneiras de modernizar a Otan”.

Seus comentários foram feitos após a cúpula do G7 neste fim de semana emitir a mais forte condenação desse grupo a Pequim nas últimas décadas.

A China também está na agenda da cúpula da Otan hoje, com o chefe da aliança, Jens Stoltenberg, dizendo que o país representa “alguns desafios” à segurança dos países-membros da aliança.

(Texto traduzido; leia o original em inglês)

Mais Recentes da CNN