Papa celebra Páscoa em basílica vazia e pede alívio financeiro a países pobres

O pontífice disse que a mensagem da 'Páscoa da solidão' deste ano deve ser 'um contágio de esperança'

Papa Francisco: 'Indiferença, egoísmo, divisão e esquecimento são palavras que devem ser banidas'
Papa Francisco: 'Indiferença, egoísmo, divisão e esquecimento são palavras que devem ser banidas' Foto: Andreas Solaro/Pool via Reuters

Da CNN Brasil*

Ouvir notícia

O Papa Francisco celebrou neste domingo (12) a missa de Páscoa na Basílica São Pedro, no Vaticano. A tradicional bênção “Urbi et Orbi” (à cidade e ao mundo) aconteceu sem a presença de fiéis devido à pandemia do novo coronavírus. Na missa, transmitida pela internet, o papa pediu união e solidariedade para combater a COVID-19 e seus efeitos econômicos e disse que o egoísmo deve ser banido. 

“Este não é um tempo para a indiferença, porque o mundo inteiro está sofrendo e precisa de união para enfrentar a pandemia”, disse o papa. “Indiferença, egoísmo, divisão e esquecimento não são palavras que nós queremos ouvir agora. Nós queremos banir essas palavras para sempre”, completou. 

O pontífice clamou pelo relaxamento de sanções internacionais e pediu alívio para as dívidas de países pobres e trégua em todos os conflitos globais. 

“Que as sanções internacionais sejam relaxadas, já que dificultam que os países aos quais foram impostas possam prover o suporte adequado a seus cidadãos.”

O papa alertou ainda que a União Europeia corre risco de entrar em colapso se não houver consenso sobre como ajudar a região a se recuperar.

Francisco disse que a mensagem da “Páscoa da solidão” deste ano deve ser “um contágio de esperança” e enalteceu médicos, enfermeiros e outros profissionais que arriscam suas vidas para que serviços essenciais continuem funcionando durante o período de isolamento. 

Ele pediu um cessar-fogo “em todos os cantos do mundo”, condenou a fabricação de armas e disse que a pandemia deve ser um impulso para que líderes encerrem longos conflitos como o da Síria.

“Não é hora de divisão”, afirmou.

*Com Reuters

Mais Recentes da CNN