Papa pede menos consumo de carne e revela onde viveria em hipotética renúncia

Pontífice nega rumores que deixará o cargo em virtude de problemas de saúde e faz apelo aos jovens para preservação do meio ambiente

Papa Francisco há muito tempo sofre de dor em um de seus joelhos
Papa Francisco há muito tempo sofre de dor em um de seus joelhos Stefano Costantino/SOPA Images/LightRocket via Getty Images

CNN

Cuidar do meio ambiente é uma preocupação constante do Papa Francisco, tanto que em várias ocasiões ele apelou ao “cuidado da casa comum” e à valorização do lugar onde vivemos.

Agora, o papa fez um apelo inusitado aos jovens para reduzirem o consumo de carne para cuidar do meio ambiente, informou a Agência de Informação Católica (ACI Prensa).

“É urgente reduzir o consumo não só de combustíveis fósseis, mas também de tantas coisas supérfluas”, afirmou o Papa Francisco na Conferência da Juventude da União Europeia, em 11 de julho.

“Também em algumas áreas do mundo seria conveniente consumir menos carne: isso também pode contribuir para salvar o meio ambiente”, acrescentou o pontífice.

Além disso, o papa encorajou os jovens a não serem “seduzidos pelas sereias que propõem uma vida de luxo reservada a uma pequena porção do mundo”, e aspirarem a uma vida “digna e sóbria, sem luxos nem desperdícios”.

Durante uma entrevista publicada em 1.º de julho na agência de notícias argentina Télam, o papa destacou a importância de cuidar do meio ambiente: “Há pessoas que não conseguem imaginar o perigo que a humanidade está enfrentando hoje com esse superaquecimento e manuseio da natureza”.

A saúde do Papa Francisco e os rumores sobre sua renúncia

O papa Francisco negou firmemente os rumores de uma possível renúncia devido a problemas de saúde em entrevista à Reuters publicada na segunda-feira (11).

Em um caso hipotético de sua renúncia, Francisco descartou ficar e morar no Vaticano ou retornar à Argentina, pois disse que, nesse caso, seria o bispo emérito de Roma, e abriu a possibilidade de morar no Pontifício Basílica de San Juan de Latrão, a Catedral de Roma.

Nesse contexto, assegurou que gostaria de se dedicar confessar em uma Igreja,revelou o pontífice em entrevista à Univisión.

No entanto, o papa descartou, em diversas entrevistas dadas esta semana, renunciar ao cargo.

“Não passou pela minha cabeça, nunca nem passou pela minha cabeça. No momento, não, mas vai chegar a hora em que eu verei que não posso fazer [o trabalho]. [Nesse caso], eu vou [renunciar]. O grande exemplo do Papa Bento XVI foi uma coisa muito boa para a Igreja”, apontou o Papa Francisco à Reuters.

E em entrevista à Televisa, ele disse que “no momento” não cogitou renunciar ao pontificado.

“Realmente não sinto que o Senhor esteja me pedindo isso neste momento”, afirmou Francisco sobre uma possível renúncia. “Quando sentir que o Senhor está me pedindo, sim”.

O Papa Francisco há muito tempo sofre de dor em um de seus joelhos, e isso o assustou “no sentido de ‘pensar um pouco sobre como será seu futuro agora'”.

Ele esclareceu, porém, que já melhorou e agora pode andar, destacou a ACI Prensa.

Este conteúdo foi criado originalmente em espanhol.

versão original