Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    #CNNPop

    Passageira esquece fones de ouvido em avião, ativa rastreamento e consegue recuperá-los com ajuda de detetive

    Alisabeth Hayden recebeu ajuda de um detetive policial; caso aconteceu nos Estados Unidos

    Passageira tem AirPods roubados após esquecê-los em avião
    Passageira tem AirPods roubados após esquecê-los em avião Cortesia Alisabeth Hayden

    Julia Buckleyda CNN

    Já vimos muitas histórias de pessoas rastreando suas malas quando as companhias aéreas não conseguiram encontrá-las. Agora, uma novidade: uma passageira rastreando um item que ela deixou em um avião até um local inesperado — a casa de um funcionário.

    No início de março, Alisabeth Hayden, moradora do estado de Washington, nos Estados Unidos, foi separada de seus AirPods – os caros fones de ouvido da Apple – ao desembarcar de um avião em San Francisco. Ela rapidamente percebeu que eles pareciam ter sido roubados.

    Hayden estava voltando de uma viagem a Tóquio para visitar o marido, que está servindo no exército, quando ela perdeu os fones de ouvido.

    Ao desembarcar do avião no Aeroporto Internacional de San Francisco – e um pouco desorientada depois de nove horas de voo desde Tóquio – ela deixou a jaqueta jeans no assento, no fundo do avião.

    “Percebi antes mesmo de sair do avião. Eu era a penúltima a sair do avião, então perguntei ao comissário de bordo se poderia ir buscá-la. Ele disse que não – eu era obrigado por lei federal a descer do avião e ficar ao lado dele, onde os carrinhos são levados. Eu estava cansada, ele disse que traria para mim, eu concordei”, explica.

    Ele realmente trouxe a jaqueta para Hayden, e ela embarcou em seu próximo voo para Seattle.

    “Uma criança estava gritando ao meu lado e pensei: ‘Pelo menos tenho meus AirPods'”, lembra. Então, pegou a jaqueta – havia deixado os dois bolsos do peito abotoados, um com seus fones de ouvido, outro com alguns ienes japoneses dentro.

    “Os bolsos estavam abertos e meus AirPods sumiram”, relata.

    Em movimento

    O avião já havia decolado para Seattle, mas Hayden usou o Wi-Fi a bordo para rastrear os fones de ouvido através do aplicativo “Find My” (Buscar), que rastreia dispositivos da Apple. Os AirPods estavam indicados como estando ainda no aeroporto.

    Então ela percebeu que eles estavam se movendo.

    “Sou uma pessoa aplicada e acompanhei todo o caminho de San Francisco a Seattle, tirando screenshots o tempo todo. Moro a uma hora de Seattle e, quando cheguei em casa, ainda estava fazendo capturas de tela”, pontua.

    Os AirPods agora estavam aparecendo em um local no mapa chamado “United Cargo” – ainda dentro do aeroporto, mas no lado de carga da companhia aérea, portanto, não onde um passageiro provavelmente estaria.

    Em seguida, eles se mudaram para o Terminal 2. Depois para o Terminal 3. Então, eles estavam na Rodovia 101, indo para o sul, em direção a San Mateo.

    Eles acabaram no que parecia ser um endereço residencial na área da baía e permaneceram lá por três dias.

    É claro que os acessórios de todos são preciosos, mas os AirPods de Hayden têm um significado especial – eles são o elo dela com o marido, que liga para ela de sua implantação em uma linha tão ruim que ela precisa deles para ouvi-lo.

    Desde o momento em que ela percebeu que eles haviam sumido, Hayden estava tentando recuperá-los. Ela mandou uma mensagem para a United Airlines e o aeroporto do avião, depois tentou a polícia em San Francisco, Hayward (onde o rastreador estava aparecendo) e a própria polícia do aeroporto.

    Ela descobriu o formato de e-mail para os e-mails dos funcionários da United e “metralhou” todos os executivos que encontrou, em todo o mundo.

    “Eu segui todos os caminhos que pude encontrar, usei todas as formas possíveis de comunicação e obtive a mesma resposta: ‘Sinto muito pelo que aconteceu com você’”, diz.

    Nesse período, conforme conta Hayden, ela marcou os AirPods como “perdidos” no aplicativo, para que qualquer pessoa que os usasse ouvisse uma mensagem informando que eram dela e fornecendo seu número de telefone.

    A United foi “incrível” em suas comunicações, ironiza a passageira.

    “Primeiro, eles disseram: ‘Sinto muito, você perdeu seus pertences em nosso voo’. Eu respondi: ‘Não os perdi, um funcionário me negou a possibilidade de pegar minha jaqueta… e agora meus AirPods de US$ 250 sumiram”.

    A pessoa que realmente a ajudou foi um detetive da força policial de San Mateo que trabalhava no aeroporto.

    Ele comparou o endereço do qual os fones de ouvido estavam indicando com o endereço de um funcionário do aeroporto – um empreiteiro que trabalhava para carregar comida na aeronave.

    Mais tarde, a United esclareceria a Hayden em um e-mail que eles “não eram funcionários da United, mas fornecedores”.

    Ela diz agora: “Não posso fazer suposições, mas o que sei é que eles estavam no bolso quando me levantei, não tive permissão para voltar ao meu lugar e, quando o comissário trouxe [a jaqueta] para mim eles não estavam lá – e quando os localizei, eles estavam na casa de um funcionário”.

    A United confirmou à CNN que o funcionário trabalha para um fornecedor da companhia e disse que o assunto foi repassado à polícia.

    A empresa acrescentou em um comunicado: “A United Airlines mantém nossos fornecedores com os mais altos padrões e estamos trabalhando com as autoridades locais na investigação desse assunto”.

    “Parece que foram pisoteados”

    Hayden ressalta que o detetive disse a ela que “a informação havia sido dada à United Cargo, e eles iriam chamar essa pessoa ao escritório e interrogá-la”.

    “Nos dias seguintes, fiquei assistindo aos meus AirPods na casa desse homem. A bateria deveria ter acabado, porque eu não os havia carregado antes da minha viagem, mas recebi uma notificação de que eles foram ‘vistos’ [pelo aplicativo] – o que significava que alguém havia conectado o iPhone aos AirPods.

    Alguns dias depois, o detetive ligou novamente para dizer que o funcionário havia sido interrogado. Ele negou ter os AirPods, até ver as capturas de tela de rastreamento em sua casa – momento em que ele disse que os havia recebido de um dos limpadores de avião. Essa pessoa negou qualquer conhecimento da situação.

    O assunto agora está sendo tratado pelo Departamento de Polícia do Aeroporto de San Francisco, que planeja submeter o caso ao escritório do promotor distrital de San Mateo, confirmou um porta-voz do condado de San Mateo à CNN.

    Após 12 dias de perseguição, Hayden finalmente recuperou seus AirPods – embora não em condições ideais. “Eles parecem ter sido pisoteados”, diz ela. “Eles estavam embrulhados em um pedaço de plástico-bolha do tamanho de papel higiênico, por que se preocupar?”, pontuou.

    Quando ela sinalizou para a United sobre sua condição ela observa que foi instruída a deixar um feedback por meio do formulário de contato em seu site.

    Uma semana depois, e depois que a CNN entrou em contato com a companhia aérea pela primeira vez sobre seu caso, Hayden foi informada de que receberia US$ 271,91 em “despesas” (para comprar um novo par) mais 5 mil milhas como um pedido de desculpas.

    Hayden – que também sempre viaja com um AirTag na bagagem – diz que adoraria ser o último caso de suposto roubo em um avião.

    “Sou resiliente, mas e as pessoas que não têm tempo ou que desistem? Quantas pessoas ouvirão: ‘Você os deixou para trás, o que você espera?’”, pergunta.

    Ela chamou, então, o detetive que a ajudou de “incrível”. Enquanto isso, com os AirPods recuperados, ela pode se comunicar com o marido novamente.

    “Talvez pareçam AirPods para pessoas normais, mas é minha conexão com meu marido e significa algo diferente para mim”, explica.

    “Mas eu não deveria ter que explicar para alguém se importar”, pondera.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original