Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Pelo menos 20 startups brasileiras auxiliam Ucrânia durante guerra, diz associação

    Apoio acontece tanto na distribuição de água potável como na capacitação de imigrantes para atuar no mercado de trabalho brasileiro

    Bombeiros tentam apagar incêndio em prédio atingido por bombardeio russo no dia 15 de março de 2022, na região de Sviatoshynskyi, em Kiev, na Ucrânia
    Bombeiros tentam apagar incêndio em prédio atingido por bombardeio russo no dia 15 de março de 2022, na região de Sviatoshynskyi, em Kiev, na Ucrânia Chris McGrath/Getty Images

    Lucas Janoneda CNN

    Levantamento da CNN feito com dados da Federação Nacional de Startups e do governo federal mostra que ao menos 20 empresas inovadoras do Brasil prestam ajuda a Ucrânia durante a guerra contra a Rússia.

    O apoio acontece tanto na distribuição de água potável como na capacitação de imigrantes para atuar no mercado de trabalho brasileiro. Todas as startups ressaltaram o auxílio do governo federal para o apoio ao país europeu.

    No início desta semana, um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) transportou 50 equipamentos para purificação de água desenvolvidos pela startup brasileira PWTech. Na prática, os equipamentos vão auxiliar mais de 10 mil ucranianos.

    “Inicialmente, o objetivo era garantir água potável em regiões remotas do Brasil. Desde o ano passado, no entanto, o equipamento passou a ser referência na contingência de situações de calamidade ao redor do mundo, a mais recente no Leste Europeu”, afirma o CEO da PWTech, Fernando Silva.

    Também com o enfoque humanitário, a plataforma brasileira VVolunteer auxilia traz uma ajuda voluntária aos ucranianos que precisaram deixar suas cidades, por conta do confronto. A Organização das Nações Unidas (ONU) estima que mais de 4 milhões de ucranianos já deixaram o país fugindo da guerra, enquanto outros 6 milhões se deslocaram internamente.

    Já a startup brasileira Toti Diversidade busca qualificar imigrantes que chegam ao Brasil e, consequentemente, integra-los no mercado de trabalho. Atualmente, a organização atua em 19 estados brasileiros, e ajuda mais de 400 imigrantes – a maioria da Ucrânia.

    De acordo com o fundador da Toti Diversidade, Caio Rodrigues, a startup consegue empregar mais de 85% de todos os imigrantes que fazem parte do programa.

    “O nosso foco é preparar os imigrantes para o mercado de trabalho brasileiro, e o foco é sempre nos trabalhos voltados para a área de tecnologia. São 400 pessoas ajudadas diretamente e mais de 800 de forma indireta, que inclui familiares dos refugiados”, disse Rodrigues.