Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Piscina e até zoológico: como era a prisão controlada por gangue na Venezuela

    Forças de segurança recuperaram o controle do Centro Penitenciário de Tocorón

    Stefano PozzebonOsmary Hernándezda CNN

    O governo venezuelano convidou jornalistas para um passeio pelo Centro Penitenciário de Tocorón, no estado de Aragua, no último sábado (23). Esta visita ocorre poucos dias após as forças de segurança recuperarem o controle da prisão, após muitos anos sob controle de gangues.

    A prisão de Tocorón, uma das maiores do país, era controlada diretamente pelos presos, muitos deles membros da poderosa gangue El Tren de Aragua, em homenagem ao estado onde Tocorón está localizado, segundo o Ministério de Informações venezuelanas.

    Na última quarta-feira (20), as forças de segurança venezuelanas realizaram uma operação especial com mais de 11 mil soldados para recuperar o controle da prisão. O Exército e a Guarda Nacional participaram da operação.

    O ministro do Interior venezuelano, Remigio Ceballos, explicou que a operação foi “um sucesso total”. Ele ainda anunciou que 80 membros de alto escalão da organização criminosa foram detidos pelas forças de segurança após a tomada da prisão.

    Ceballos negou relatos da mídia de que o governo negociou com líderes de gangues antes da operação. “Destruímos completamente a liderança do chamado ‘Trem Aragua’. Eles se foram”, citou o ministro à CNN.

    Jornalistas, incluindo uma equipe da CNN, viram onde os presos construíram uma piscina e vários restaurantes dentro dos muros da prisão nos últimos anos. As autoridades divulgaram imagens após a operação de armas apreendidas de presidiários, incluindo rifles automáticos, metralhadoras e milhares de cartuchos de munição.

    Milhares de presos foram transferidos para outras penitenciárias após a operação. No entanto, familiares dos reclusos contestam estas afirmações, afirmando que não falaram com os seus parentes desde a manhã em que a operação começou.

    “Não ouvi nada desde que tudo isso começou na quarta-feira (20)”, disse Claribel Rojas, irmã de um presidiário da prisão de Tocorón, à CNN no sábado. “Vim ontem e hoje e ninguém fala nada.”

    Embora não seja incomum que gangues administrem prisões na Venezuela, a Penitenciária de Tocorón era famosa no país e nos últimos anos tornou-se um símbolo da incapacidade do governo venezuelano de recuperar o controle de gangues poderosas.

    O Trem Aragua é o grupo criminoso mais poderoso da Venezuela e nos últimos anos expandiu suas operações para Colômbia, Equador, Peru e Argentina, segundo o Departamento de Estado dos EUA.

    Veja também: Análise: Brasil se reaproxima da Venezuela com compra de energia

    Este conteúdo foi criado originalmente em espanhol.

    versão original