Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Polícia dos EUA ainda busca identificar atirador que matou 4 em aniversário

    Tiroteio no último sábado (15) deixou ainda 28 pessoas feridas, sendo a maioria adolescentes

    Holly YanIsabel RosalesChris BoyetteCaroll Alvaradoda CNN*

    Dadeville, Alabama

    Dois dias depois que um assassino atirou em pessoas que comemoravam uma festa de aniversário de 16 anos nos Estados Unidos, a polícia diz ter “pistas fortes” do massacre que deixou quatro pessoas mortas, pelo menos 28 outras feridas e uma pequena cidade do Alabama atormentada por confusão e tristeza.

    Além das vítimas jovens mortas, pelo menos 15 adolescentes foram baleados e hospitalizados na noite de sábado (15) em Dadeville, no Alabama.

    Apesar das pistas, a polícia não divulgou nenhuma informação sobre um possível suspeito ou motivo por trás da violência.

    Embora o chefe de polícia de Dadeville tenha pedido “paciência” com a investigação, ele e as autoridades estaduais pediram a qualquer pessoa que tenha fotos ou informações do local que ajude as autoridades.

    “Não posso enfatizar isso o suficiente: precisamos absolutamente que você compartilhe”, disse o sargento. Disse Jeremy J. Burkett, da Agência de Execução da Lei do Alabama.

    O tiroteio começou por volta das 22h34 do sábado, em um local de eventos no centro de Dadeville, no estado do Alabama. Keenan Cooper, o DJ da festa quando os tiros começaram, disse que não percebeu nenhuma briga ou perturbação antes do tiroteio.

    “É muito triste ver todas as crianças que foram baleadas e as que já faleceram”, disse Cooper à CNN. “E vendo todos aqueles corpos na porta da frente, todas aquelas crianças provavelmente ficarão traumatizadas.”

    Além das quatro vítimas mortas, outras 28 ficaram feridas, disse Burkett. O sargento não especificou a idade das 28 pessoas feridas nem se foram todas baleadas. Mas ele disse que algumas delas ficaram gravemente feridas.

    Quatro jovens vidas inexplicavelmente interrompidas

    Na segunda-feira (17), o legista do condado de Tallapoosa, Mike Knox, identificou todas as quatro vítimas mortas:

    Corbin Dahmontrey Holston, um homem de 23 anos de Dadeville, Alabama

    Marsiah Emmanuel Collins, um jovem de 19 anos de Opelika, Alabama

    Philstavious Dowdell, de 18 anos, de Camp Hill, Alabama, e aluno do último ano da Dadeville High School

    Shaunkivia (KeKe) Nicole Smith, uma jovem de 17 anos, também aluna do último ano da Dadeville High School

    Dois melhores amigos e “crianças muito respeitosas” foram mortos

    Collins era um jogador de futebol americano do ensino médio e um aspirante a músico que esperava frequentar a Louisiana State University no outono, disse seu pai, Martin Collins, à CNN.

    Marsiah Collins foi morto na noite de sábado junto com seu melhor amigo, Philstavious Dowdell, no Alabama / Arquivo Pessoal/Martin Collins

    Ele se formou na Opelika High School em 2022 e foi aceito na LSU naquele semestre de outono. Mas ele decidiu tirar um ano de folga para seguir a carreira musical e passar mais tempo com sua mãe antes de sair do estado para a faculdade.

    “Marsiah era otimista e uma pessoa amorosa que se preocupava profundamente com sua família”, disse seu pai. “Ele adorava passar o tempo com as irmãs e adorava futebol”.

    O jovem Collins também era o melhor amigo de Dowdell, apesar de jogar futebol em diferentes escolas, disse seu pai.

    “O futebol no Alabama conecta as crianças. Essas crianças faziam tudo juntas. Eles até iam para as escolas um do outro para assistir um ao outro jogar”, disse Martin Collins.

    Marsiah Collins deixa seu irmão mais velho, duas irmãs mais novas e seus pais.

    “Tenho a foto do meu filho sobre a minha cama”, disse o pai. “E acordar agora e ver e saber que meu filho está morto é devastador”.

    Philstavious Dowdell ganhou uma bolsa de estudos para estudar na Jacksonville State University / Philstavious Dowdell/Facebook

    Dowdell era o irmão da jovem que comemorava o aniversário de 16 anos, disse Cooper. Ele também foi uma estrela do futebol americano na Dadeville High School e ganhou uma bolsa de estudos para jogar na Jacksonville State University.

    Dowdell era “uma espécie de herói da cidade”, disse Cooper.

    A vereadora Teneeshia Goodman-Johnson disse que conhecia Dowdell e duas das outras vítimas. Todos eram crianças inteligentes “com futuros muito brilhantes”, disse ela à WAKA, afiliada da CNN.

    “Crianças muito atléticas, muito humildes, crianças muito respeitosas”, disse Goodman-Johnson. “Eles só queriam se divertir, e isso foi tirado deles”.

    Shaunkivia Smith estava ansiosa para frequentar a Universidade do Alabama, disse sua prima, Amy Jackson.

    Smith também foi gerente atlético-estudantil da equipe de atletismo da Dadeville High School, disse o técnico Michael Taylor.

    Taylor, que também é assistente técnico de futebol americano, disse que Dowdell pediu um favor comovente poucas semanas antes de ser morto: “Se alguma coisa acontecer comigo, mesmo quando eu for para a faculdade, cuide de minhas duas irmãs”, pediu o adolescente ao seu treinador.

    Keke Smith estava “sempre sorrindo” e estava prestes a ingressar na Universidade do Alabama, disse seu primo / Keke Smith/Facebook

    Vários adolescentes estão lutando por suas vidas

    Pelo menos 15 adolescentes da festa de aniversário foram baleados e levados para o Lake Martin Community Hospital de Dadeville, disse a porta-voz Heidi Smith.

    Entre eles, cinco estavam em estado crítico e quatro estavam em condição estável, disse Smith no domingo. Esses nove pacientes foram transferidos para outras instalações médicas.

    Os seis pacientes restantes foram tratados e liberados, disse Smith.

    Na cidade próxima de Alexander City, o Russell Medical Center “recebeu vários pacientes” do tiroteio na festa de aniversário, disse a porta-voz Susan Foy.

    “Eles foram tratados e liberados ou transferidos para outras instalações”, disse Foy. Ela disse que não poderia confirmar quantos pacientes foram recebidos ou suas idades.

    Dadeville se une a cidades de todo o país em luto

    A angústia que domina Dadeville agora é tragicamente familiar em todo o país.

    Os EUA sofreram mais de 160 tiroteios em massa nas primeiras 16 semanas deste ano, de acordo com o Gun Violence Archive. Como a CNN, a organização sem fins lucrativos define tiroteios em massa como aqueles em que quatro ou mais pessoas são baleadas, excluindo o atirador.

    O presidente Joe Biden disse que está orando pelas famílias das vítimas em Dadeville e reiterou seu apelo no domingo (16) para que o Congresso chegue a um acordo sobre a legislação de controle de armas.

    “A que ponto chegou nossa nação quando as crianças não podem ir a uma festa de aniversário sem medo? Quando os pais precisam se preocupar toda vez que seus filhos saem para a escola, para o cinema ou para o parque?”, disse Biden.

    Os enlutados em Dadeville não precisam especular. Eles já estão envolvidos pela dor.

    “É uma comunidade muito unida e unida”, disse o pastor local Ben Hayes, que também atua como capelão do Departamento de Polícia de Dadeville e do time de futebol americano Dadeville High School.

    “Todo mundo conhece todo mundo. Por isso é tão difícil”, disse. “Eu conhecia essas crianças pessoalmente. A maioria das pessoas também”.

    *Com informações de Elizabeth Wolfe, Keith Allen, Tina Burnside, David Williams, Dianne Gallagher e Amanda Jackson, da CNN.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original